Vivem-se dias complicados na fábrica da Opel/Vauxhall de Ellesmere Port, no Reino Unido. De acordo com a informação que o director das instalações, Mark Noble, avançou aos empregados, publicada pelo Liverpool Echo, o actual problema tem a ver com a quebra das vendas da carrinha Astra Sports Tourer, o que levou a que a semana de trabalho ficasse reduzida a apenas quatro dias.

O corte nos dias de trabalho fez soar os alarmes entre os trabalhadores, temendo despedimentos ou layoffs para adaptar de forma mais definitiva a capacidade de produção da fábrica ao actual volume de vendas. A semana de quatro dias está programada iniciar-se a 23 de Março.

Os responsáveis pelas instalações fabris da Opel/Vauxhall, marcas adquiridas pela PSA à General Motors, informaram ainda que vão tentar encontrar a melhor solução com os representantes dos trabalhadores, ainda que não se vislumbre uma que faça incrementar a procura pelos modelos ali produzidos.

De acordo com a Automotive News, os empregados de Ellesmere Port temem que, com a semana de quatro dias, possam ser eliminados até 170 postos de trabalho. Este corte segue-se a uma redução do número de funcionários de quase de 50% desde que a PSA tomou conta da Vauxhall e da respectiva fábrica.

Para o CEO da PSA, o português Carlos Tavares, o futuro de Ellesmere depende do Governo inglês negociar um acordo comercial com a União Europeia que não imponha penalizações à exportação de veículos do Reino Unido para a União Europeia. E todos os investimentos na fábrica foram suspensos até haver luz verde nas negociações tarifárias.