Chegou esta sexta-feira a Portugal uma parte do material encomendado por Portugal para fazer frente à pandemia da Covid-19, anunciou o próprio primeiro-ministro, António Costa, através das redes sociais.

“Há coincidências felizes. Ao aterrar hoje no Porto, deu-se a coincidência de ter apanhado o momento exato da descarga de milhares de equipamentos de proteção individual, fatos de proteção e máscaras, que chegaram hoje a Portugal, num avião da Ethiopian Airlines”, anunciou o primeiro-ministro.

Covid-19. Espanha com pior dia. Boris Johnson dá positivo no teste

“Estamos a reforçar as compras e a receber mais donativos, que agradecemos. Em breve, todos estes equipamentos, tão necessários, estarão a ser distribuídos onde fazem mais falta”, escreveu António Costa no Instagram.

Segundo dados fornecidos ao Observador pelo gabinete do primeiro-ministro, a encomenda que chegou esta sexta-feira ao aeroporto do Porto é composta por 4.614.000 máscaras cirúrgicas, 560 mil fatos de proteção individual e 20 mil cobre-botas. Todo este material foi adquirido centralmente pelo Governo, sendo agora distribuído pelas unidades hospitalares consoante as necessidades reportadas.

Este material inclui-se num conjunto de equipamentos encomendados pelo Governo do qual fazem parte mais de 380 mil batas, mais de 6 milhões de luvas esterilizadas, 10 milhões de luvas não esterilizadas, 368 mil máscaras com viseira, 17 milhões de máscaras cirúrgicas, cerca de 8 milhões de máscaras FFP2 e FFP3, 743 mil protetores de calçado e um milhão de toucas.

Entre o fim desta semana e o início da próxima também está prevista a chegada de 80 mil testes à Covid-19 a Portugal, tendo os primeiros cinco mil chegado na quinta-feira.