Cansaço, fadiga, dificuldades em adormecer e até uma maior irascibilidade são alguns dos sinais da chamada astenia primaveril, um fenómeno que coincide com a mudança de estação e que este ano pode intensificar-se com o novo coronavírus, segundo o espanhol ABC.

O motivo é fácil de explicar: dado o isolamento social a que estamos praticamente todos sujeitos, na sequência da pandemia, a sintomatologia da astenia primaveril pode ser mais severa devido à redução da exposição solar, uma vez que a falta de sol pode resultar em escassez de vitamina D.

O jornal já citado esclarece que não é clara a etiologia da astenia, ainda que um dos fatores que influencia o distúrbio passa precisamente pela adaptação do nosso corpo às mudanças de temperatura e às horas de luz, estas que influenciam os ritmos circadianos.

Dado o confinamento social, há conselhos a ter em conta: optar por uma alimentação equilibrada que inclua vitamina D e também ácidos gordos. Neste último caso, há preferência por alimentos frescos ao invés de comida processada e é aconselhada a redução de álcool e de estimulantes, como café e chá. A manutenção de rotinas de alimentação e do sono, descanso, exercício físico também é recomendada, sendo que pelo menos 30 minutos de atividade física moderada e diária bastarão para manter o corpo ativo. A última sugestão passa pela limitação do uso de ecrãs.

A astenia primaveril tende a ser passageira, mas caso dure mais do que duas semanas, é aconselhável procurar a opinião de um médico especialista.