“Todos pensávamos que o 11 de setembro seria o pior dia de Nova Iorque que íamos ver numa geração. Estávamos errados. Isto é um assassino silencioso, é uma explosão silenciosa que custa milhares de vidas”, lamentou o governador Andrew Cuomo, esta quinta-feira, durante a conferência de imprensa, onde revelou  que, pelo segundo dia consecutivo, o estado de Nova Iorque registou um recorde de mortes em 24 horas devido à Covid-19: 799, mais 20 do que na véspera.

O registo total de vítimas mortais provocadas pela pandemia de Covid-19 é, neste momento, de 7.067. Estão 18.279 pessoas internadas, no total, sendo que 4.925 se encontram em unidades de cuidados intensivos. O número de internamentos nas últimas 24 horas foi o menor desde que a pandemia afetou o estado.

“No 11 de setembro perdemos 2.753 vidas no estado de Nova Iorque. Agora são já mais de sete mil vidas”, frisou Cuomo, quando comparou o efeito “devastador” da pandemia com os atentados de 11 de setembro de 2001.

O governador Cuomo fez ainda questão de destacar que decorreram apenas 18 dias desde a imposição de restrições em Nova Iorque, 39 dias desde o primeiro caso no estado e 80 dias desde que foi identificado o primeiro caso nos Estados Unidos.”Encontramo-nos numa batalha, mas aquilo que interessa é a guerra. Este vírus é muito, muito bom naquilo que faz. Perdemos mais vidas ontem do que tínhamos perdido até agora”, lamentou o responsável pelo estado mais afetado em todo o território dos Estados Unidos. Desde o dia 20 de Março que no estado de Nova Iorque foi pedido a todos os residentes que fiquem em casa.