A Semana da Crítica e a Quinzena dos Realizadores, duas das iniciativas paralelas do Festival de Cinema de Cannes, em França, e que estavam previstas para maio, foram canceladas, foi esta quarta-feira anunciado.

A decisão foi tomada no seguimento do anúncio do Presidente francês, Emmanuel Macron, na segunda-feira, de que o confinamento social no país, por causa da Covid-19, se estenderá até 11 de maio e que não poderão ocorrer festivais pelo menos até meados de julho.

Em comunicado conjunto, as equipas que dirigem a Semana da Crítica e a Quinzena dos Realizadores, juntamente com a associação para a difusão do cinema independente ACID, decidiram anular em definitivo a edição deste ano. Ainda assim, explicam que tentarão, em articulação com o festival de Cannes, “estudar a melhor maneira de continuar a apoiar [a divulgação] dos filmes enviados para a edição de 2020”.

A Semana da Crítica e a Quinzena dos Realizadores são duas secções com programação própria e paralela ao Festival de Cinema de Cannes e estavam previstas também para maio. Quanto ao festival de cinema propriamente dito ainda não há uma decisão final quanto à 73ª. edição.

Na terça-feira, a direção admitiu que o adiamento anteriormente planeado para junho ou julho caiu por terra e que seria “claramente difícil assumir” que o festival acontecerá este ano no formato habitual. Ainda assim, não foi adiantada qualquer nova data, porque o festival está em conversações, desde segunda-feira, com os profissionais do setor, dentro e fora de França, referiu a direção em comunicado.

Numa entrevista na semana passada à revista Variety, o diretor do festical, Thierry Fremaux descartava a hipótese de realizar o festival através da Internet, considerando que seria “um modelo que não funcionaria” devido à “alma, história e eficiência” de Cannes. A revista especializada recorda que poderá ser problemático um adiamento do festival para depois do verão, uma vez que estão previstos os festivais de Veneza (Itália), Toronto (Canadá) e San Sebastian (Espanha) e a feira profissional Mipcom.

Em toda a sua história, o festival de cinema de Cannes foi cancelado em 1968, durante os protestos estudantis do histórico mês de maio.

Quanto ao Marché du Film, a feira de negócios da indústria cinematográfica e audiovisual, para profissionais, também marcada para a mesma altura, resta ainda confirmar se se manterá a decisão de a realizar em formato virtual, como tinha sido anunciado em março.