Portugal colocou esta quarta-feira 1.016 milhões de euros, acima do máximo indicativo, em Obrigações do Tesouro a seis e 10 anos, a juros mais altos face aos anteriores leilões comparáveis de 11 de março, foi anunciado.

Segundo a página do IGCP, agência que gere a dívida pública, na agência Bloomberg, foram colocados 418 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade em 21 de julho de 2026 (cerca de seis anos) à taxa de juro de 0,843%, superior à taxa de juro de 0,059% verificada no anterior leilão comparável de 11 de março. A procura cifrou-se em 979 milhões de euros, 2,34 vezes o montante colocado.

No anterior leilão comparável de OT a seis anos, Portugal colocou em 11 de março 681 milhões de euros a 0,059% e a procura cifrou-se em 1.111 milhões de euros, 1,63 vezes o montante colocado.

Com maturidade em 15 de fevereiro de 2030 (cerca de 10 anos), Portugal colocou hoje 598 milhões de euros à taxa de juro de 1,194%, superior à registada no anterior leilão comparável, em 11 de março, quando foram colocados 500 milhões de euros em OT a 10 anos à taxa de juro mínima de 0,426%.

A procura atingiu 1.007 milhões de euros, 1,68 vezes o montante colocado.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) anunciou que hoje realizava dois leilões de OT com maturidade em 21 de julho de 2026 (cerca de seis anos) e 15 de fevereiro de 2030 (cerca de 10 anos) e que o montante indicativo global era 750 e mil milhões de euros.