O rastreio à Covid-19 promovido pela Câmara de Vila Nova de Gaia aos utentes e funcionários de 59 lares e instituições de apoio à deficiência resultou em 195 casos positivos, informou esta sexta-feira a autarquia do distrito do Porto.

No total, dos 3.746 testes realizados aos utentes e funcionários de 59 instituições do concelho, 195 foram positivos (75 na área do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Grande Porto VII – Gaia e 120 no ACeS Espinho/Gaia), acrescenta o comunicado da autarquia liderada pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues.

A unidade móvel de rastreio arrancou a atividade a 18 de abril, numa iniciativa da câmara em parceria com o Hospital de Gaia, e “percorreu uma parte dos lares de idosos e de pessoas com deficiência do concelho, cobrindo a área de abrangência do ACeS Grande Porto VII – Gaia” e complementando o “trabalho que já estava a ser desenvolvido pelo ACeS Espinho/Gaia, que, por sua vez, realizou os testes no terreno, com financiamento da câmara”.

Citado pela nota de imprensa, o presidente da autarquia afirmou que, uma vez terminado o Estado de Emergência, “importa reforçar as medidas de proteção e de prevenção para evitar um retrocesso no caminho já percorrido”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Testar sempre foi, para mim, o melhor instrumento de prevenção”, acrescentou o autarca do segundo concelho com mais casos de infetados pelo novo coronavírus no país, 1.445 contabilizados até esta sexta-feira, mais 13 do que os registados até quinta-feira, e apenas atrás de Lisboa, que soma 1.700.

Portugal contabiliza 1.114 mortos associados à Covid-19 em 27.268 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.