O número de crianças que esta segunda-feira regressou às creches foi inferior ao previsto, segundo a presidente da Associação de Creches e de Pequenos Estabelecimentos de Ensino Particular (ACPEEP), que acredita que a situação melhorará nos próximos dias.

Depois de dois meses encerradas devido à pandemia de Covid-19, as creches voltaram esta segunda-feira a reabrir com novas regras de higienização dos espaços e distanciamento social para tentar minimizar as probabilidades de contágio do novo coronavírus.

Em declarações à Lusa, a presidente da ACPEEP, Susana Batista, fez um balanço provisório do que esta segunda-feira se passou em alguns estabelecimentos: “O feedback que temos, até agora, é que acabaram por ir menos crianças do que as que tinham anunciado”.

Susana Batista deu o exemplo de um colégio, onde eram esperadas oito crianças, mas apareceram apenas cinco. “Houve uma ou outra que acabou por não ir, mas sabemos que durante a semana irá”, disse.

Alguns pais ligaram a explicar que tinham compromissos que tornavam impossível levar a criança à escola e outros admitiram que tinham adormecido, contou à Lusa.

Mas também houve famílias que, apesar de terem garantido que os seus filhos regressariam esta segunda-feira, acabaram por não aparecer nem dizer nada na creche.

No entanto, segundo Susana Batista, este tipo de situações “é normal durante todo o ano”.

O regresso à creche também foi vivido de forma diferente pelas diferentes crianças: “Tivemos todas as situações. Em alguns casos, houve choro por se separarem dos pais, mas noutros notou-se uma alegria imensa”.

Na última semana, as direções e os educadores começaram a fazer um levantamento junto das famílias para perceber quantas crianças iriam regressar esta segunda-feira, para que pudessem organizar os espaços de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A Associação de Creches e de Pequenos Estabelecimentos de Ensino Particular também fez um levantamento junto dos seus associados que revelou que a maioria das crianças não regressaria esta segunda-feira.

O Governo decidiu dar 15 dias — entre 18 de maio e 1 de junho — para que os pais possam permanecer em casa com as crianças sem perder o direito ao apoio à família que foi criado especificamente para esta fase de pandemia.

As creches já estavam à espera de receber poucas crianças, em grande parte por receio dos pais em relação ao novo coronavírus, mas esse número ainda baixou mais, segundo a ACPEES.

A associação lançou esta segunda-feira um novo inquérito aos associados para obter mais informações sobre este retomar de atividade, mas só no final do dia terá dados mais objetivos sobre o que aconteceu nas diferentes creches, contou à Lusa Susana Batista.

Além da reabertura das creches, cerca de 500 escolas do ensino secundário voltaram esta segunda-feira a ter aulas presenciais para os estudantes do 11.º e 12.º anos.

Esta segunda-feira é ainda marcada pela retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

Portugal contabiliza, até ao momento, 1.231 mortos associados à Covid-19 em 29.209 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da DGS.