O Partido Comunista Português (PCP) considerou esta quarta-feira ser “urgente” a “reposição e reforço” do serviço de transporte rodoviário de passageiros no distrito de Évora, de forma a garantir a mobilidade das populações.

Na sequência da pandemia de Covid-19, segundo os comunistas, “houve situações de supressão total de carreiras rodoviárias a partir de freguesias de zonas rurais”, o que “condiciona fortemente as possibilidades de mobilidade das populações”.

“Sem transportes a partir das freguesias das zonas rurais, muitos milhares de pessoas ficam sem condições de se deslocar para o emprego e também sem acesso ao banco, aos correios, ao supermercado, a uma farmácia ou mesmo a uma consulta médica”, alertou o PCP, que questionou o Governo sobre os serviços de transporte no distrito de Évora.

Segundo os comunistas, a “reposição e reforço” do transporte rodoviário de passageiros, incluindo o aumento de horários das carreiras, “é essencial para garantir a mobilidade das populações, garantindo simultaneamente as condições de segurança e saúde dos utentes”.

Com a pergunta dirigida ao ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e esta quarta-feira enviada à agência Lusa, o Grupo Parlamentar do PCP quer saber quais as medidas que o Governo vai tomar para “assegurar a reposição e reforço” dos serviços de transporte e das condições de mobilidade das populações no distrito de Évora.

Portugal contabiliza 1.342 mortos associados à Covid-19 em 31.007 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado na terça-feira.

No Alentejo, segundo a DGS, há 254 casos de infeção confirmados e registo de um morto associado à Covid-19.