Os Estados Unidos anunciaram esta quarta-feira o fim das derrogações que autorizaram até agora projetos relacionados com o programa nuclear civil iraniano, acordo internacional de 2015 do qual Washington se retirou.

“Hoje, anuncio o fim das isenções de sanções para todos os projetos nucleares no Irão”, disse o chefe da diplomacia dos EUA, Mike Pompeo, em comunicado.

Mike Pompeo afirmou que revogaria todas as exceções de sanções que abrangem a cooperação nuclear civil, sendo que as exceções permitiram que empresas russas, europeias e chinesas continuassem a trabalhar nas instalações nucleares civis do Irão.

Agora, os países ainda aderentes ao acordo nuclear iraniano e envolvidos nesses projetos correm o risco de serem sancionados pelos Estados Unidos se não se retirarem, facto que preocupa, acima de tudo, a Rússia.

“O regime iraniano continuou a sua ligação nuclear ao expandir atividades sensíveis à proliferação”, declarou Pompeo em comunicado, apontando que Teerão admitiu atividades que violam o acordo.

Os EUA retiraram-se do acordo nuclear em 2018.

As isenções de “cooperação civil-nuclear” permitiram que empresas estrangeiras trabalhassem em algumas das instalações nucleares declaradas do Irão sem ficar sujeitas às sanções dos EUA.