Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ao primeiro segundo da conferência de imprensa, o primeiro-ministro avisou logo que a área metropolitana de Lisboa suscita preocupação. O país vai entrar numa nova fase de desconfinamento a 1 de junho, mas esta região vai ficar para trás em alguns pontos específicos. A “evolução da área metropolitana de Lisboa distinguiu-se significativamente das outras regiões do país”, disse António Costa negando, no entanto, que exista um“descontrolo”. Houve dois surtos localizados na área da construção civil e das empresas de trabalho temporário e isso fez com que o Governo tenha decidido, esta sexta-feira, recuar no calendário que tinha previsto, exclusivamente no que diz respeito região de Lisboa.

Na próxima quinta-feira, dia 4, o Governo reavalia estas restrições que se vão manter para esta área metropolitana. Costa diz que nas áreas em que incide mais este surto da região está a ser “feito um esforço de testagem” e que será feito o que foi feito nos lares. No resto do país, o plano avança mais ou menos como estava previsto.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.