Um total de 96 companhias aéreas estão proibidas de voar para a União Europeia (UE) por questões de segurança, incluindo várias angolanas, as de São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial, segundo a “lista negra” esta terça-feira divulgada.

No caso de Angola, as exceções são a TAAG Angola Airlines e a Heli Malongo, estando todas as restantes interditas de voar para a UE, numa lista que inclui todas as transportadoras certificadas de São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial (países-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa).

Os aparelhos da Ceiba (Guiné Equatorial) é operada pela companhia portuguesa White nos mercados internacionais. A STP Airways (São Tomé e Príncipe) tinha um acordo de parceria com a companhia portuguesa Euroatlantic e está em negociações com a White.

A lista de 96 companhias é composta por 90 certificadas em 16 países, inadequada supervisão de segurança por parte das respetivas autoridades aeronáuticas e outras seis companhias individuais, como a Avior Airlines (Venezuela).