A última terça-feira ficou marcada por um protesto silencioso que correu mundo e que se fez notar sobretudo no Instagram. Milhões de pessoas publicaram uma imagem totalmente preta, num movimento de apoio à causa antirracista que tomou conta dos Estados Unidos após a morte de George Floyd.

Mas a Blackout Tuesday, como ficou conhecida a iniciativa, não apelou a toda a gente. Sandra Silva, uma jovem atriz portuguesa, partilhou um vídeo a explicar o motivo pelo qual não aderiu ao movimento. “Não vou partilhar para me sentir cool e inserida na sociedade”, explicou. “Preocupem-se em influenciar os vossos amigos e família”, acrescentou.

“Eu não sou racista, ok? Não é fixe as pessoas andarem a morrer”, adicionou num dos vídeos partilhados, chegando mesmo a referir que, quem não se identificar com a posição e conteúdos do seu Instagram, não precisa de seguir o seu perfil. Só nesta rede social, conta com mais de 64 mil seguidores.

As declarações não caíram bem a Sara Sampaio. A manequim internacional portuguesa usou o Twitter para mostrar a sua indignação face ao discurso da atriz de 23 anos. “Não lhe estão a pagar, não interessa! Ela não quer é estar a estragar o ‘mood’ do Instagram! White privilege! Estava melhor calada”, escreveu Sara, de 28 anos.

As opiniões dividiram-se. Houve quem atacasse Sampaio. “Gostava de saber o que as pessoas esperam do ódio que estão a entregar à miúda. Principalmente gostava de saber onde está a noção de uma pessoa com tanta visibilidade a propagar esse ódio”, escreveu um utilizador.

Outros apoiaram-na nas críticas dirigidas à jovem Sandra, como foi o caso do modelo Luís Borges. “Quando as pessoas têm que levar com os teus stories a promover marcas, etc… isso já é importante?! Bem-vinda ao século XXI em que as pessoas que influenciam (que pelos vistos não é o teu caso) DEVEM tomar uma posição em certos assuntos!”, partilhou Borges em seguida.

Sara Sampaio acabaria por fazer uma segunda publicação, menos intempestiva e a explicar o ponto da sua crítica a Sandra Silva. “Verdade, ninguém tem que falar sobre assuntos que não quer, mas se o racismo não vos incomoda o suficiente para se quererem educar, aprender e apoiar uma comunidade que dia a dia é atacada, morta, discriminada, etc porque a pele deles é diferente, então fazes parte do problema!”, adicionou.

Antes mesmo das críticas de Sara Sampaio, Sandra voltou a recuperar o tema através do Instagram. Indicou estar a receber várias mensagens, mostrou alguns comentários de apoio à sua posição nas redes sociais e acabou mesmo por partilhar alguns elementos antirracismo.

Já Sara Sampaio acabaria por pôr um ponto final no tema com uma terceira intervenção no Twitter. “Eu não estou aqui a espalhar ódio, nem para ‘cancelar’ ou ‘destruir’ a carreira de ninguém! Espero que ela aprenda sobre esta situação, todos fazemos erros, (quantos eu já fiz), antes de falarmos de alguma coisa é importante educarmo-nos! Espero que para a próxima ela o faça”, rematou.