Na próxima assembleia-geral anual da Audi, a realizar algures nos próximos meses de Julho ou Agosto, a marca dos quatro anéis deverá comunicar que passa a estar sob controlo total do Grupo Volkswagen.

Embora o fabricante de Ingolstadt integre o conglomerado germânico desde 1964, ano em que a Daimler se “desfez” da Audi, o Grupo Volkswagen detém 99,64% das acções, o que significa que os restantes 0,36% se encontram dispersos pelas mãos de accionistas minoritários. E estes, para alienarem a sua participação, vão receber quase mais 50% por acção do que a cotação do mercado, o que indicia que a Volkswagen quer mesmo “livrar-se” deles. Em comunicado, o Grupo Volkswagen realça que “anunciou e especificou o valor de 1551,53 euros por acção da Audi AG, valor esse a ser pago aos accionistas minoritários, em troca da transferência das suas acções”. A operação deverá ser aprovada na referida assembleia-geral.

Actualmente, o valor de cada acção ronda os 1050€, sendo que existem 152.749 acções não detidas pelo conglomerado germânico que, a pagar o valor de mercado, desembolsaria qualquer coisa como 160,4 milhões de euros. Contudo, o que está em cima da mesa para assumir o controlo total da Audi AG, é desembolsar 237 milhões de euros.

Recorde-se que a Audi AG integra também a Lamborghini, a Ducati e a Italdesign.