As bombas de gasolina da Área Metropolitana de Lisboa já podem funcionar normalmente até às 22h. Num despacho publicado esta terça-feira, o ministro da Economia alarga o horário aplicado até agora por causa da situação excecional da região. A restrição mantém-se, porém, no caso da venda de álcool, que continua a ser proibida.

Por causa do aumento do número de casos, os postos da área de Lisboa e respetivas lojas só podiam manter a atividade normal até às 20h. A partir dessa hora, era proibido vender qualquer bem ou prestar qualquer serviço além do fornecimento de combustível. Além disso, a venda de bebidas alcoólicas foi completamente proibida.

A medida surgiu depois de casos em que várias pessoas se aglomeraram em estações de serviço para comprar álcool e tabaco, por exemplo, por causa do encerramento de bares e cafés. Esta terça-feira, o Governo decidiu fazer algumas alterações.

No despacho, o ministro Pedro Siza Vieira diz que “importa agora garantir que os postos de abastecimento de combustíveis possam funcionar normalmente até às 22 horas, se o respetivo horário o permitir, e, a partir dessa hora, se mantenham em funcionamento exclusivamente para efeitos de venda ao público de combustíveis e abastecimento de veículos”.

Não há, porém, alterações na regra do álcool:

O disposto nos números 1 e 2 não prejudica a proibição de venda de bebidas alcoólicas nas áreas de serviço ou nos postos de abastecimento de combustíveis localizados na Área Metropolitana de Lisboa, prevista no n.º 4 do artigo 5.º do regime anexo à Resolução do Conselho de Ministros n.º 51-A/2020, de 26 de junho”, lê-se no despacho.

O alargamento do horário normal entrou em vigor no momento da publicação do documento em Diário da República, já depois das 23h desta terça-feira. Ainda assim, só terá efeitos práticos na quarta-feira, altura em que, pela primeira vez, as bombas de gasolina poderão funcionar normalmente durante mais duas horas.