Foram minutos de descontos que acabaram por manchar uma das vitórias mais importantes da temporada. Ao quinto minuto do tempo adicional dado por Fábio Veríssimo, Philipe Sampaio fez falta sobre Marega no interior da grande área do Tondela. O avançado maliano, que já tinha marcado, agarrou de imediato a bola no sentido de assumir a conversão do penálti. Do banco, ainda assim, ouviu-se uma única indicação: “É o Fábio!”.

Danilo, o capitão que já entra de braçadeira mesmo quando sai do banco (a crónica do Tondela-FC Porto)

O Fábio é Fábio Vieira, o médio de 20 anos que se estreou a marcar pela equipa principal do FC Porto na jornada passada, com um livre direto no jogo contra o Belenenses SAD. E a ideia de Sérgio Conceição era dar mais um golo ao jovem jogador, que é nesta altura a grande aposta do treinador dos dragões dentro do grupo proveniente das camadas jovens. Marega, porém, não gostou. Pegou na bola e pontapeou-a para longe, claramente desagradado com a decisão. Fábio Vieira converteu a grande penalidade, confirmou a vitória do FC Porto mas Marega não festejou com os colegas, mantendo-se alheado do jogo até ao apito final. Pepe ainda tentou chamar o avançado à razão, Otávio fez o mesmo, mas nenhum teve sucesso — Marega terminou a partida inconsolável, sem querer falar com ninguém e claramente chateado por não ter podido marcar o penálti.

Já na flash interview, Sérgio Conceição não fugiu à pergunta e sublinhou a união do grupo. “É um tema que se resolve em família, é um grandíssimo profissional, trabalha muito. O Fábio Vieira é jovem, é um menino que está a aparecer. É um momento menos bom do jogador mas que não afeta em nada naquilo que é o espírito do grupo”, disse o técnico, garantindo que já tinha falado com Marega porque “o treinador tem de falar com todos no final do jogo” e que “está tudo resolvido entre os dois”. Mais tarde, no Instagram, o avançado acabou por pedir desculpa pelo comportamento.

Sobre a partida em si, Conceição ressalvou que “o importante foi o resultado”. “Eu também já estive em equipas que lutavam pela manutenção. Não posso falar da estratégia do adversário. Viemos aqui para fazer golos e foi o que tentámos fazer e fizemos. O importante foi o resultado e o jogo bem conseguido da equipa, apesar de não ter sido muito espetacular. Mas bem conseguido”, explicou, revelando desde logo que dificilmente Sérgio Oliveira vai voltar a jogar esta temporada, depois de ter saído lesionado ainda na primeira parte na sequência de um choque com João Pedro.

“Estou cá para falar no balneário e para corrigir aquilo que não está a ser feito, mas penso que os jogadores percebem aquilo que está a acontecer no jogo. Com o decorrer do tempo conseguimos corrigir alguns erros (…) Dá para perceber que o Tondela está aflito na tabela e que precisa de pontos, é normal que quisesse arriscar mais no jogo, com um futebol mais direto, e nós tivemos de ajustar e ajustámos. Devíamos ter tido mais posse de bola, mas o Tondela também tem o seu mérito. Acabaram por reduzir no marcador, mas nós conseguimos marcar depois”, terminou Sérgio Conceição, também num comentário ao facto de o FC Porto conseguir normalmente corrigir os erros cometidos na primeira parte durante o segundo tempo.