Não há duas sem três: depois de ter ganho a última corrida em Marraquexe antes da paragem pela pandemia e de ter conquistado os 30 pontos na primeira prova do regresso, António Félix da Costa voltou esta tarde a vencer a segunda de seis corridas em Berlim que irão marcar o final do Mundial de Fórmula E de 2020.

Acabou bem, (re)começou ainda melhor: António Félix da Costa reforça liderança na Fórmula E com vitória em Berlim

Após o triunfo do suíço Sébastien Buemi no group stage, o piloto português da DS Techeetah conseguiu a pole position como já tinha acontecido na véspera (terceira em 2020, quarta na carreira) e voltou a dominar os 45 minutos de corrida, falhando apenas o ponto extra para a volta mais rápida que pertenceu ao belga Stoffel Vandoorne, da Mercedes-Benz EQ. Ainda assim, foram mais 28 pontos que reforçaram a liderança.

Félix da Costa aumentou a distância para o australiano Mitch Evans, da Jaguar, que desceu à quarta posição do Mundial depois de mais uma corrida onde não entrou no top 10. Assim, o brasileiro Lucas De Grassi, que acabou esta segunda corrida em solo germânico na terceira posição, subiu ao segundo lugar da classificação geral com 57 pontos, tantos como Stoffel Vandoorne, que acabou no quinto posto. O português tem 68 pontos de vantagem.

Até ao momento, e depois de duas primeiras corridas onde as coisas não correram da melhor forma (14.º e décimo lugar no Grande Prémio de Diriyah, na Arábia Saudita), Félix da Costa terminou na segunda posição em Santiago do Chile e na Cidade do México, ganhou em Marraquexe e somou agora mais dois triunfos no circuito de Tempelhof, em Berlim. O Mundial vai regressar no fim de semana, com uma prova no sábado e outra no domingo, e termina nos dias 12 e 13, sempre no mesmo traçado germânico.