Um epidemiologista afirmou esta terça-feira que 99% dos casos do novo surto de Covid-19 no estado australiano de Victoria terão tido origem em hotéis designados para a quarentena de viajantes internacionais, na cidade de Melbourne.

“É provável que uma grande proporção, aproximadamente 99% dos atuais casos de Covid-19 em Victoria, tenham tido origem [nos hotéis] Rydges ou Stamford”, disse Charles Alpren, epidemiologista do Ministério da Saúde daquele estado australiano, durante uma investigação judicial, segundo o canal público de televisão australiano ABC.

O surto de Melbourne, detetado no final de junho, acumulou já mais de 17.200 infeções, tendo provocado até à data 351 mortes e levado ao confinamento dos cinco milhões de habitantes da cidade até meados de setembro. O epidemiologista disse ainda que a sequência do genoma indica que 90% dos casos do surto estarão ligados a uma família de quatro pessoas que regressou à Austrália em 9 de maio e efetuou quarentena no Hotel Rydges.

O perito esclareceu que “o evento ou eventos de transmissão” nestes centros de quarentena não foram identificados, mas apontou que a família terá sido autorizada a sair, acompanhada por seguranças. As declarações de Alpren coincidem com as de Ben Howden, diretor do Instituto Doherty, que disse aos investigadores que 99% dos casos registados em Victoria estavam ligados a três “redes de transmissão”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os dados indicam que a epidemia em Victoria, que esta terça-feira registou 222 novos casos de covid-19 e 17 mortes, já atingiu o pico e está a começar a estabilizar-se. O estado vizinho de Nova Gales do Sul comunicou três novas infeções nas últimas 24 horas.

A Austrália, que registou quase 24.000 casos confirmados da doença desde o início da pandemia, além de 438 mortes, tinha relançado a economia, após ter controlado a epidemia, até ao ressurgimento da doença em Melbourne.