O governo de Macau anunciou esta sexta-feira o lançamento de um plano para aumentar o número de visitantes e o consumo turístico no território, devido ao impacto da pandemia da Covid-19 no turismo.

A partir de terça-feira, inicia-se o “Plano de alargamento da fonte de visitantes, revitalização da economia e proteção do emprego”. O plano prevê “proporcionar, através das empresas ligadas ao comércio eletrónico na Internet, benefícios na aquisição de bilhetes de avião, hotéis e de consumo em geral para os visitantes”.

O objetivo é atrair mais turistas, incentivar o seu consumo e usufruto, “dos serviços turísticos e de lazer prestados durante a sua estadia no território” e garantir assim “uma nova visita desses clientes”, indicaram as autoridades, em comunicado.

O plano prevê “estimular o consumo turístico, prolongar o período de estadia em Macau e expandir a cadeia de consumo, o que beneficiará todos os setores económicos, permitirá a mais estabelecimentos comerciais obterem benefícios no mercado de consumo, impulsionando, assim, a recuperação económica na estabilização do emprego local”.

Segundo o governo de Macau, o plano é feito em cooperação com a Tencent, Alibaba e Air Macau.

Antes da chegada a Macau, os visitantes poderão participar no sorteio para aquisição de benefícios em hotéis e bilhetes de avião, respetivamente, através da conta oficial da Direção dos Serviços de Turismo”, explicaram.

Na quarta-feira, foram retomados os vistos turísticos da província de Guandgong, de onde vem a maioria dos jogadores nos casinos, uma medida considerada essencial para a recuperação económica do território, já que as receitas do jogo representam cerca de 80% do Produto Interno Bruto (PIB) de Macau.

A esmagadora maioria dos visitantes de Macau é proveniente do interior da China. Destes, cerca de metade chega da província vizinha, Guangdong.

Se a situação se mantiver estável em termos de contágios, a China já indicou que planeia autorizar em todo o país a emissão de vistos turísticos para Macau a partir de 23 de setembro.

O número de visitantes em Macau caiu mais de 90% em junho e 83,9% no primeiro semestre, nos primeiros sete meses do ano as perdas dos casinos em relação ao ano anterior foram de 79,8% e a queda do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre foi de 58,2%.

“Prevê-se que a tendência de abrandamento do PIB seja mantida ainda no segundo semestre do corrente ano”, indicou o governo na mesma nota.