O Livre considerou esta quarta-feira que a União Europeia (UE) tem de passar “das palavras à ação”, apelando à solidariedade entre os 27 estados-membros depois do incêndio no campo de refugiados na ilha grega de Lesbos.

É urgente evacuar o campo de refugiados de Moria [em Lesbos] e assegurar que todos os refugiados que nele se encontravam são protegidos e que lhes é garantido um porto seguro em solo europeu. A pressão não pode recair apenas sobre alguns dos estados membros e a única solução para esta crise humanitária é a solidariedade entre todos os 27 estados-membros da UE”, defendeu o Livre em comunicado.

O partido da papoila saudou as palavras da comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson, que esta quarta-feira, através do Twitter, anunciou que a Comissão Europeia irá financiar a transferência e alojamento para a parte continental da Grécia dos 400 menores não acompanhados que permanecem no campo de refugiados de Moria.

No entanto, sustentou, “é urgente que a UE passe das palavras à ação imediata para garantir a segurança e abrigo, não apenas a crianças e jovens, mas a todas as 13.000 pessoas refugiadas em Moria e em todos os outros campos de refugiados em solo europeu, campos esses que devem ser desmantelados e os seus habitantes acolhidos”.

Para esta força política, “não é aceitável” que refugiados em busca de asilo na Europa tenham de viver nas condições atuais, instando às instituições europeias que “de uma vez por todas, tomem ações decisivas no sentido de providenciar condições de vida que garantam dignidade a todas as pessoas em solo europeu”.

Controlado fogo no campo de refugiados em Moria

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse esta quarta-feira “lamentar profundamente” o incêndio no campo de refugiados de Moria, na ilha de Lesbos, assegurando que a União Europeia (UE) está “pronta para apoiar” a Grécia.