Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O mundo não voltará a subestimar o poder de uma passadeira vermelha virtual, que é como quem diz, um desfile de roupas bonitas (na maioria) com cada convidado confortavelmente instalado em sua casa. Em noite de Emmys, e com uma cerimónia sem público para assistir ao vivo à entrega de prémios mais aguardada da televisão norte-americana, foi à distância, mas com a janela das redes sociais escancarada, que as estrelas exibiram os modelitos escolhidos para a grande noite.

Muitos acharão desperdício de tempo e até de tecido, mas quem trajou a rigor fê-lo em nome de uma normalidade a meio gás e, claro, de um dress code festivo que certamente já teria algum pó acumulado. Muitos não chegaram a sair de casa, o que ainda assim resultou em alguns dos mais bem sucedidos visuais da noite. Veja-se o caso de Zendaya, que além do próprio Emmy, ainda conquistou lugar no pódio de estilo. Valeram-lhe dois vestidos — o primeiro, de Christopher John Rogers, e o segundo, um Armani Privé, a provar que nenhuma cerimónia, mesmo quando seguida a partir do sofá da sala, dispensa uma boa obra de alta-costura.

A jovem atriz de 24 anos não foi a única. Regina King pôs-se à vontade para receber o Emmy de Melhor Atriz, mas antes disso posou com um vestido Schiaparelli, vindo diretamente da passerelle de Paris. A aparatosa criação não teve propriamente rival, embora o Alexandre Vauthier de Tracee Ellis Ross estivesse pronto para lhe fazer sombra.

Por outro lado, houve quem tenha aproveitado o aconchego do lar para se poupar ao desconforto das caudas e dos folhos. Rachel Brosnahan e o marido, o ator Jason Ralph, surgiram de pijama, mas não uns pijamas quaisquer. As peças foram feitas à medida pelo atelier da designer Christy Rilling e casaram na perfeição com joias Retrouvaí e sapatos Roger Vivier. O visual confortável da atriz Julia Garner escondia uma etiqueta Chanel.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sem passadeira vermelha, sem público, sem graça: os Emmys vistos do sofá (que era a única maneira de os ver)

Jennifer Aniston começou por enganar bem os seus seguidores. Primeiro partilhou uma fotografia sua em pijama e com uma máscara facial, e mais tarde surpreendeu o mundo com uma aparição dupla — ao lado das companheiras de “Friends”, Courteney Cox e Lisa Kudrow, e ao lado do próprio anfitrião, Jimmy Kimmel, com um Dior vintage preto, de alças finas, há muito a fórmula mais segura da atriz de 51 anos.

O pre-show de Jennifer Aniston, antes das aparições durante a cerimónia dos Emmys © Instagram

Houve ainda outros looks dignos de nota — Shira Haas, estrela da produção da Netflix “Unorthodox”, em Chanel, Yara Shahidi em Prada e as escolhas acertadas de Kerry Washington, que variou entre um animal print em lantejoulas Dolce & Gabbana e um floral luminoso de Oscar de la Renta. E fez jus a ambos.

“Watchmen” e “Succession” saíram a sorrir dos Emmys, mas para a história ficará “Schitt’s Creek”

Na fotogaleria, veja os visuais que marcaram a noite dos Emmys, mesmo a partir de casa.