Depois de ter surgido como concept em 2019, o 508 Peugeot Sport Engineered converte-se agora na mais empolgante criação do construtor francês. Não tem os 400 cv do protótipo que o antecipou, mas continua a merecer destaque pelos seus 360 cv e 520 Nm de binário máximo, conseguidos por meio da combinação do motor 1.6 turbo de 200 cv e dois motores eléctricos, um com 110 cv integrado na transmissão automática de oito velocidades e outro no eixo traseiro, com 112 cv. Ou seja, o mesmo conjunto motopropulsor que anima o 3008 Hybrid4, mas com mais 60 cv.

Este híbrido plug-in, com uma autonomia eléctrica de 42 km em WLTP, oferece tracção às quatro rodas motrizes e assume-se como o mais potente Peugeot de produção em série de sempre, suplantando o RCZ R e o 3008 GT Hybrid4 300. O que não o impede, contudo, de homologar emissões de 46 g de CO2/km, o equivalente a 2,03 l/100 km de consumo, segundo o protocolo WLTP.

Convertida em números, a performance expressa-se assim: os 0 a 100 km/h cumprem-se em 5,2 segundos, para ir de 80 a 120 km/h bastam 3 segundos e os 1000 metros com arranque parado são alcançados em 24,5 segundos, apesar de estarmos a falar de uma berlina com 1850 kg e de uma carrinha com 1875 kg. Ambas estão electronicamente limitadas a 250 km/h de velocidade máxima e foram alvo de alterações no chassi especificamente para compatibilizar conforto e performance.

6 fotos

A suspensão de série possui molas helicoidais e amortecedores com rigidez ajustável em três modos (Comfort/Hybrid/Sport) e o 508 Peugeot Sport Engineered vê a sua altura ao solo baixar face ao 508 convencional. Sentado em posição mais baixa, mais próximo da “acção”, o condutor usufrui de uma direcção mais directa, segundo a marca, e também de discos de travões dianteiros com 380 mm de diâmetro e pinças fixas de quatro pistões. Os pneus, montados em jantes de 20 polegadas, são Michelin Pilot Sport 4S 245/35 R20.

A bateria de iões de lítio, com 11,5 kWh de capacidade, pode ser recarregada em menos de 7 horas numa tomada doméstica standard. Num carregador de 3,7 kW, uma carga completa leva 4 horas, valor que cai para menos de metade numa Wall Box de 7,4 kW.

De acordo com a Peugeot, não há alterações no espaço do habitáculo nem na capacidade da bagageira, face aos 508 equipados apenas com motor de combustão, o que significa que o sedan continua a acomodar 487 litros e a SW 530 litros.