A MessageBird é o mais recente unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) europeu. A plataforma de comunicações omnicanal na nuvem angariou cerca de 200 milhões de dólares (cerca de 170 milhões de euros) na última ronda de investimento, o que avaliou a empresa em 3 mil milhões de dólares (2,5 mil milhões de euros), anunciou a startup nesta quinta-feira em comunicado.

A ronda de investimento foi negociada remotamente durante o confinamento e liderada pela capital de risco americana Spark Capital. Contou também com a participação de outros investidores internacionais como a Bonnier, Glynn Capital, LGT Lightstone, a Atomico e o Y-Combinator.

A necessidade desta injeção de capital surgiu porque a procura das empresas por mais ferramentas de comunicação direta com os clientes cresceu com a pandemia — precisaram de mais canais, que respondessem aos desafios da transição de lojas físicas para equipas totalmente remotas e canais de vendas online.

“O meu desejo é viver num mundo onde possa enviar mensagens de texto para uma empresa e nunca mais ficar em espera. A MessageBird foi pioneira na criação de uma OPaaS com base na ideia de que as empresas globais devem conseguir comunicar sem atrito com os seus clientes, em qualquer parte do mundo e através do canal que estes preferirem”, afirma Robert Vis, fundador e presidente da MessageBird, em comunicado.

Os 200 milhões de dólares vão ser usados para triplicar o tamanho da equipa global e expandir a presença da plataforma na Europa, Ásia e América Latina.

A MessageBird foi fundada em 2011 pelos empreendedores holandeses Adriaan Mol e Robert Vis. Atualmente, tem escritórios em Amesterdão, São Francisco, Singapura, Bogotá, Londres, Xangai, Dublin, Hamburgo e Sidney, e conta com mais de 15 mil clientes, como a Lufthansa Airlines, a Heineken ou a Hugo Boss. A empresa foi lucrativa durante seis anos, antes de fechar uma ronda de investimento Série A no valor de 60 milhões de dólares (51 milhões de euros), em 2017.