A Farfetch, a plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo, acaba de lançar mais um Pulg-In, o programa de estágios remunerados, no qual os candidatos selecionados têm a oportunidade de trabalhar com mentores da empresa. A quinta edição da iniciativa acontece pela primeira vez de forma remota devido à pandemia e arranca este mês com 37 estagiários nas áreas de Tecnologia, Produto e Data, selecionados de um lote de mais de 2500 candidatos.

“Tenho a certeza que estes 37 estagiários que agora se juntam a nós vão encontrar um ambiente desafiante mas, ao mesmo tempo, terão todo o apoio dos mentores da Farfetch para começarem as suas carreiras da melhor forma e aprenderem com os melhores, numa empresa global, na qual, todos os dias, terão oportunidades de desenvolvimento”, afirma Cipriano Sousa, CTO da Farfetch.

Os estagiários vão trabalhar durante seis meses em equipas internacionais com um acompanhamento muito próximo de mentores de diversas áreas da empresa, dedicando-se a criar soluções disruptivas para a indústria da moda e para o futuro do comércio online. Este ano, quase 40% dos estágios são ocupados por mulheres, num grupo de perfis diversos, que integrará essencialmente áreas de Engenharia e Data Science.

Farfetch abre candidaturas para 40 estágios remunerados no Porto, Lisboa e Braga

“Numa empresa internacional, estar remoto não é algo totalmente novo. Naturalmente tivemos que nos adaptar por causa da pandemia, mas queremos continuar a reforçar a nossa aposta no talento. Estamos perfeitamente preparados para receber este grupo de forma remota e tenho a certeza que vamos ser capazes de proporcionar uma experiência única e enriquecedora, tal como aconteceu nas edições anteriores”, sublinha Ana Sousa, VP People da Farfetch.

O programa Plug-In já recebeu 142 estagiários nas edições anteriores e tem uma taxa de retenção superior a 90%, sendo considerado “um meio privilegiado para os recém-graduados darem o salto entre o mundo de ensino e o profissional”, num ambiente que os desafia a serem revolucionários e lhes dá uma perspetiva de negócio verdadeiramente global.

“Nas 4 edições anteriores, tivemos 142 a iniciarem as suas carreiras connosco e, desses, hoje mais de 90% continuam a fazer parte das nossas equipas. São números que comprovam a robustez do programa, que procura as melhores competências técnicas, mas também o fit com a cultura e forma de trabalhar da Farfetch”, destaca Ana Sousa, VP People da Farfetch.