Notícia em atualização

Pelo menos doze pessoas morreram e mais de 700 ficaram feridas na Turquia na sequência de um terramoto com magnitude 6.6 na escala de Richter. O sismo sentiu-se esta sexta-feira em vários territórios da Turquia, com epicentro perto da cidade e região de Izmir, mas foi sentido igualmente na Grécia, tendo mesmo causado mini-tsunamis na ilha grega de Samos e na cidade costeira Seferihisar, na Turquia.

Na ilha grega de Samos, as paredes de várias casas desabaram e registaram-se inundações no porto marítimo, relata a agência France-Presse. Há ainda registo de duas mortes — de dois adolescentes — na ilha da Grécia. Das vítimas mortais sabe-se apenas que eram dois estudantes e que morreram na sequência do desabamento de uma parede. Ainda em Samos, ficaram feridas seis pessoas.

Das 84 réplicas às 70 pessoas retiradas dos escombros

Os números referentes ao impacto do sismo na Turquia — nomeadamente as doze mortes e mais de 700 pessoas feridas — foram reportados pela Autoridade de Gestão de Desastres e Emergências (AFAD), que indicou ainda que o terramoto foi sentido às 14h51 locais, 11h51 em Portugal Continental. A mesma entidade revelou que foram sentidas 84 réplicas, 16 das quais com magnitude acima de 4.0 na escala de Richter.

Na Turquia, além das vítimas mortais e de ferimentos em causados em mais de 300 pessoas, o terramoto provocou danos — em alguns casos, absolutos e definitivos — em 17 edifícios da cidade de Izmir, a terceira mais habitada da Turquia, com mais de 4 milhões de residentes.

Para os escombros desses edifícios destruídos ou danificados em Izmir foram enviadas equipas de socorro à procura de possíveis sobreviventes. Segundo o governador da cidade, Yavuz Selim Kosger, citado pela agência de notícias estatal turca Anadolu, já foram retiradas e salvas dos escombros 70 pessoas.

Além de veículos, bombeiros e funcionários de organizações de socorro foram ainda enviados para os locais de escombros 960 tendas de socorro, prontamente montadas, 4.500 cobertores e 3.672 camas, de acordo com a agência Anadolu. Foi ainda acionado um fundo de emergência de cinco milhões de liras turcas, o equivalente a um pouco mais de 500 mil euros (512.419) à taxa de câmbio atual.

Nas redes sociais foram publicadas imagens e vídeos que mostram a derrocada de alguns edifícios na cidade turca de Izmir.

Já foi lançado o alerta de tsunami e as águas na região têm uma baixa profundidade, o que pode potenciar um maremoto. 

O epicentro foi localizado a cerca de 18 quilómetros da costa de Izmir, a uma profundidade de aproximadamente 16 quilómetros. O sismo provocou ainda danos menores em edifícios de territórios próximos, como Usak, Denizli, Manisa, Balikesir, Aydin e Mugla e chegou mesmo a ser sentido em Istambul, a cerca de 328 km, embora sem danos causados, de acordo com o governador de Istambul, Ali Yerlikaya.

Na ilha de Samos, pertencente à Grécia, foi registado uma subida do nível das águas, devido ao terramoto, tendo sido bastante afetada.

Não há vítimas portuguesas

As Embaixadas de Portugal em Atenas (Grécia) e Ancara (Turquia) estão a acompanhar a situação e, até ao momento, não há cidadãos portugueses entre as vítimas mortais e os feridos, confirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros ao Observador.

A Embaixada em Atenas “não possui registo de qualquer cidadão nacional” na ilha de Samos, mas está a contactar os portugueses que residem nas ilhas mais próximas, tais como Kos, Chios, Icaria, Rodes e Lesbos. Neste momento, encontra-se uma portuguesa na ilha grega que “se encontra bem”, segundo foi confirmado pela família ao Gabinete de Emergência Consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros.