A Universidade Católica Portuguesa apresentou queixa ao Ministério Público por ter sido vandalizada com frases racistas. A decisão já tinha sido comunicada aos alunos através de um e-mail mas foi agora publicada na página oficial da instituição.

Instituições em Lisboa vandalizadas com mensagens racistas e xenófobas. Diretores “repudiam” palavras

No comunicado, a reitora Isabel Capeloa Gil afirma que tal ato “atenta contra os princípios basilares do que a universidade enquanto espaço de abertura e diálogo representa”. E por ser um crime público, a Universidade procedeu a uma “denúncia junto do Ministério Público”.

A Universidade Católica Portuguesa, o Instituto Universitário de Lisboa, a Escola Secundária Eça de Queirós, a Escola Secundária de Sacavém, a Escola Secundária António Damásio e o Centro de Acolhimento para Refugiados foram vandalizados durante a madrugada desta sexta-feira com mensagens racistas e xenófobas nas suas fachadas.

Em declarações à Rádio Observador, Isabel Capeloa Gil, considerou o ato um ataque à instituição e aos seus valores, afirmando que as mensagens são “absolutamente inadmissíveis”.

Universidade Católica vandalizada com mensagens racistas. Reitora considera atos “inadmissíveis”