O líder do PS Madeira questionou esta quinta-feira o Governo Regional sobre os investimentos efetuados na área da Saúde para dotar a região dos meios necessários para enfrentar qualquer situação relacionada com o aumento dos casos de Covid-19.

Estamos a viver um momento complexo de um aumento do número de casos e é importante que saibamos se estamos ou não preparados para enfrentar este aumento exponencial de pessoas infetadas pela Covid-19″, afirmou Paulo Cafôfo, numa conferência de imprensa no Funchal.

O presidente e deputado do PS Madeira referiu que as medidas adotadas pelo executivo regional, como o confinamento e o fecho da economia, tiveram “um único objetivo, que foi robustecer o Serviço Regional de Saúde”. A meta, acrescentou, era assegurar que a região estivesse “preparada em termos de recursos humanos, aquisição de equipamentos e adaptação de espaços” para enfrentar a pandemia.

“Portanto, importa saber se o Governo Regional acautelou esta situação num momento em que estamos com um aumento de casos”, vincou.

O dirigente manifestou a sua “preocupação” devido a recentes declarações do presidente do Instituto da Administração de Saúde da Madeira afirmando que um surto de Covid-19 na Madeira seria catastrófico. Paulo Cafôfo considerou ser necessário transmitir “tranquilidade e confiança às pessoas”, tendo em conta o aumento de casos.

Por este motivo, defendeu que o Governo Regional (PSD/CDS-PP) precisa esclarecer “quais as medidas que foram realizadas para robustecer e preparar a região para enfrentar todos os cenários”.

Importa saber, em termos da nossa capacidade de testagem, vigilância epidemiológica, de resposta de outras medidas adequadas à situação”, especificou.

O PS quer conhecer também a “capacidade máxima instalada” do Serviço Regional de Saúde em matéria de internamentos e de cuidados intensivos.

Paulo Cafôfo considerou que a atual situação é “complexa e desafiante”, mas deixou uma “palavra de confiança aos profissionais de saúde pela forma como têm lidado com esta doença que ninguém conhecia e estava à espera”.

O socialista aconselhou os madeirenses e porto-santenses a respeitarem as recomendações da autoridade de saúde e a serem responsáveis em matéria de “proteção individual, que é fundamental para a proteção coletiva”.

“Acredito que vamos ser capazes de dar a volta a esta situação com a nossa fibra e resiliência”, concluiu.

Os dados divulgados na quarta-feira pelo IASaúde apontam que a Madeira regista 212 casos ativos de Covid-19, 142 dos quais importados, ascendendo a 569 as situações confirmadas no arquipélago desde o início da pandemia.

Esta quinta-feira, o presidente do executivo madeirense, Miguel Albuquerque, anunciou que as autoridades de saúde da Madeira estão a monitorizar cerca de 700 pessoas ligadas aos cerca de 70 casos de transmissão local que existem no arquipélago e reiterou a inexistência de transmissão comunitária na região.