O Parlamento Europeu (PE) condenou esta quinta-feira por unanimidade os recentes atentados em França e na Áustria e apelou ao reforço da legislação antiterrorista da União Europeia (UE) e das medidas de integração social.

Num debate com a comissária europeia da Administração Interna, Ylva Johansson, os eurodeputados apelaram à unidade da UE numa “resposta robusta” aos ataques terroristas, ao mesmo tempo que defenderam uma maior promoção das liberdades fundamentais e da integração social, segundo um comunicado.

O PE destacou a necessidade de se reduzirem ainda mais as lacunas e brechas na legislação antiterrorista existente e na sua aplicação.

Ao mesmo tempo, devem ser desenvolvidas e apoiadas medidas que promovam a integração na sociedade, a educação e a não discriminação.

No debate foi ainda abordada a questão dos conteúdos de radicalização e discurso de ódio que podem ser encontrados na internet, tendo havido apelos à adoção de legislação que exija a remoção de conteúdos ligados a terrorismo.

Por seu lado, a comissária anunciou as próximas iniciativas da UE, tais como o reforço do mandato da Europol e um plano de ação sobre integração e inclusão.

A França, com um ataque em Nice e outro em Paris, num total de quatro mortes, e a Áustria, também com quatro vítimas em Viena, foram recentemente alvos de ações de terroristas islâmicos.