A futebolista internacional portuguesa Carolina Mendes perspetiva um “jogo muito difícil” com a Escócia, de qualificação para o Europeu, mas acredita que o triunfo perante um adversário direto está ao alcance de Portugal.

Carolina Mendes foi a autora do primeiro golo de sempre da seleção das quinas em fases finais, que contribuiu igualmente para a primeira vitória, no segundo jogo da fase de grupos do Europeu de 2017. A adversária era a Escócia, seleção que as lusas voltam a defrontar na sexta-feira, na fase de apuramento para o próximo campeonato da Europa.

Na altura [do Europeu de 2017], éramos as estreantes. Acabámos por mostrar muito valor no Europeu e as equipas olham agora de maneira diferente para nós. Ganhámos o respeito das outras seleções. Vai ser um jogo muito difícil, mas está ao nosso alcance. Vamos entrar para somar os três pontos”.

O golo apontado às escocesas no Europeu de 2017 “foi extremamente importante”, mas Carolina Mendes lembrou que este é “outro contexto”, apesar de o objetivo ser “sempre o mesmo: ganhar”.

São seleções muito físicas, muito possantes. É muito diferente da seleção portuguesa, que tem jogadoras mais técnicas e mais pequenas. Passaram três anos [desde o jogo do Europeu], as seleções têm outras jogadoras e vão-se adaptando aos vários modelos de jogo das outras seleções”.

Carolina Mendes, que celebra 33 anos na sexta-feira, dia do jogo com a Escócia, assumiu a vontade do grupo em aproveitar o fator casa, apesar de o jogo se disputar à porta fechada, devido à pandemia de Covid-19, para derrotar um adversário direto na luta pelo apuramento.

Tudo o que são adversários diretos neste grupo são jogos decisivos. Sabemos bem as dificuldades do jogo, mas, apesar de não haver público devido a estas restrições, é sempre um jogo em casa e queremos aproveitar essa vantagem”.

Enquanto uma das jogadoras mais experientes, Carolina Mendes vê o grupo “muito calmo e tranquilo”, consciente das dificuldades que se avizinham e com noção das funções que cada atleta tem de desempenhar.

Somos todas profissionais, cada uma sabe o que fazer. Estamos todas concentradas e a puxar para o mesmo todas juntas. Só pode ser esse o caminho para conseguirmos vencer a Escócia”.

A capitã Cláudia Neto juntou-se na terça-feira à concentração da seleção portuguesa, que ficou assim completa, para as receções à Escócia (19h00), em 27 de novembro, e à Albânia (17h45), em 1 de dezembro, ambas no Estádio do Restelo, em Lisboa.

No Grupo 3 da qualificação, Portugal é segundo classificado, com 10 pontos, menos três do que a líder Finlândia, que tem mais um jogo disputado, enquanto a Escócia é terceira, com nove pontos e também menos um jogo. A Albânia é quarta (três pontos) e o Chipre quinto (zero).

Apuram-se para a fase final, em Inglaterra, os vencedores de cada grupo mais os três segundos classificados com melhores resultados face ao primeiro, terceiro, quarto e quinto no seu grupo. Os restantes segundos vão disputar um play-off, em data a definir.