Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há lá iguaria mais indispensável num qualquer cabaz festivo do que um bom queijo? Consumidores patrióticos escolherão o melhor exemplar nacional, enquanto os palatos mais ávidos de exotismo e complexidade tenderam a explorar o que Inglaterra, França e Itália têm de melhor. No que diz respeito às sugestões que aqui apresentamos, foram as fronteiras do território português — continental e insular — a balizar a pesquisa.

Com cerca de uma dezena de denominações de origem protegida (DOP), Portugal está longe de ter a montra de queijos exuberante dos vizinhos franceses ou mesmo dos italianos. Historicamente, são os gados ovino e caprino que ditam o sabor da queijaria nacional, exceção aberta aos Açores, onde abundam as vacas leiteiras.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.