O secretário de Estado Adjunto da Saúde considerou esta terça-feira “uma luz ao fundo do túnel” o início da vacinação contra a Covid-19 e desvalorizou os incidentes em Évora, na segunda-feira, com o transporte das vacinas.

Eu acho que nenhuma imagem deslustra aquilo que tem, de facto, sido muito importante” neste processo, “que é a luz ao fundo do túnel que é a vacina e, neste caso particular, a vacina aos nossos profissionais de Saúde”, afirmou António Lacerda Sales, em Évora.

Questionado pelos jornalistas no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), onde assistiu esta manhã ao início da vacinação dos profissionais de Saúde, o secretário de Estado lembrou que o Governo “já abriu um inquérito” sobre os alegados incidentes entre a PSP e a GNR na distribuição da vacina, na segunda-feira, nesta unidade hospitalar.

PSP e GNR desentendem-se em relação à escolta do transporte de vacinas. MAI já reagiu e abre inquérito urgente

Trata-se de “uma matéria do Ministério da Administração Interna (MAI) e, portanto, não vou comentar”, disso o governante, frisando, contudo, que o arranque da vacinação é “a imagem que ficará, com certeza, para a História e que se sobreporá a todas as outras questões”.

A TVI noticiou, na segunda-feira à noite, que “um conflito de interesses entre PSP e GNR” terá impedido, durante algum tempo, “a saída” do HESE da carrinha que fazia a distribuição da vacina na região Sul do país, acabando a situação por ser resolvida “com uma escolta partilhada” entre as duas forças da autoridade.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou a abertura de um inquérito urgente por parte da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) sobre estes “incidentes” em Évora no acompanhamento das vacinas.