Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Mais do que “inventar” novas medidas, o que é preciso é acelerar e pôr no terreno as medidas já testadas e comprovadas. Acelerar, acelerar, acelerar. Em traços largos foi isto que Pedro Siza Vieira, o ministro da Economia, disse ao arrancar uma conferência de imprensa destinada a apresentar “novas” medidas de apoio às empresas e aos trabalhadores devido ao novo confinamento que arranca às 00h00 desta sexta-feira.

E por isso, grande parte das “novas” medidas apresentadas foram acertos, reforços e recuperação de antigas decisões já aplicadas ao longo de 2020, durante e depois do confinamento de março e abril (que, ao contrário deste, implicou o fecho de escolas).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.