Depois de verem um telemóvel à venda no site OLX, dois assaltantes marcaram um encontro com a pessoa que o estava a vender. Foi o início de um plano com o objetivo final de lhe roubar o aparelho. Sem poder desconfiar, o anunciante acedeu ao pedido e encontrou-se com os dois interessados no negócio. Só que os alegados compradores eram, na verdade, assaltantes e o vendedor depressa se tornaria uma vítima.

No encontro, que aconteceu este mês, os dois suspeitos, “ao verem o telemóvel, arrancaram-lho das mãos, colocando-se de imediato em fuga na posse do mesmo, fazendo-o seu”, relata a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), num comunicado publicado esta segunda-feira.

Os dois assaltantes acabariam, no entanto, por ser “intercetados por inspetores da Polícia Judiciária” que estavam a trabalhar e “que se aperceberam do sucedido e lhes deram ordem de paragem”. Mas os dois suspeitos continuaram em fuga. Quando, finalmente, acabaram por ser detidos, terão agredido os elementos da PJ.

Os arguidos não só não acataram tal ordem, como agrediram os inspetores no corpo e tentaram fugir, de forma a evitarem a sua detenção”, lê-se no comunicado da PGDL.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A dupla acabaria por ser detida em flagrante delito e presente a um juiz de instrução criminal na passada quinta-feira, para primeiro interrogatório judicial. Os dois arguidos ficaram em prisão preventiva — a medida de coação mais gravosa — e aguardam agora presos os próximos passos judiciais “por se terem por verificados os perigos de continuação da atividade criminosa e de fuga“.

O caso está agora a ser investigado pelo DIAP de Sintra. Os dois são suspeitos da prática de um crime de roubo — punido com pena de prisão de um a oito anos — e um crime de resistência e coação sobre funcionário — punido com uma pena de prisão de um a cinco anos.