Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O PCP incluiu nas listas de vacinação prioritária apenas dois deputados: António Filipe e Ana Mesquita. Foram escolhidos pelo grupo parlamentar por serem, respetivamente, vice-presidente da Assembleia da República e secretária da Mesa da AR.

“Relativamente aos restantes deputados aplicar-se-ão os critérios gerais definidos para a vacinação nas diferentes fases, tal como Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP já explicitou ao dizer que tomará a vacina não como deputado mas sim como cidadão e utente do Serviço Nacional de Saúde, aguardando pela sua vez”, escreveu o PCP em comunicado.

O partido “considera que a questão prioritária acerca da vacinação contra a Covid-19 não é a vacinação dos órgãos de soberania mas sim a de garantir que haja vacinas suficientes para a vacinação dos portugueses e o cumprimento dos objetivos definidos no plano de vacinação”.

Numa nota enviada, o PCP frisa também a importância de “garantir a diversificação da aquisição das vacinas para que os objetivos de vacinação sejam concretizados” e de que Portugal não fique limitado “aos contratos feitos pela União Europeia com farmacêuticas que não têm capacidade de produção suficiente e não aceitam subcontratar a produção de vacinas nem partilhar ou suspender patentes”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E foi de acordo com esses critérios que os comunistas indicaram dois dos dez deputados que compõem a bancada nesta legislatura. António Filipe, eleito por Santarém, na condição de vice-presidente da Assembleia da República e Ana Mesquita, eleita pelo círculo do Porto, na condição de secretária da mesa da Assembleia serão os únicos, para já, a ser incluídos na lista de prioritários.

Covid-19. BE recusa vacinas para os seus deputados e só dá prioridade a Ferro Rodrigues