O ministro da Administração Interna disse esta quinta-feira que a vacinação aos bombeiros voluntários, sapadores e municipais contra a Covid-19 vai permitir dar mais confiança na ajuda pré-hospitalar e no socorro às populações, durante o período de pandemia.

Iniciamos hoje um processo que nesta primeira fase permitirá vacinar cerca de 15 mil bombeiros nas próximas semanas. Esse é um objetivo que, em articulação com as estruturas do país, nos ACES [Agrupamentos de Centros de Saúde], do Minho ao Algarve, nos permitirá dar mais confiança […] na ajuda pré-hospitalar […] e no apoio a todas aquelas que são as necessidades de socorro das populações”, disse Eduardo Cabrita.

O governante falava no arranque do programa de vacinação dos bombeiros no Centro de Saúde da Damaia, na Amadora, no distrito de Lisboa.

De acordo com o ministro da Administração Interna, a vacinação é um sinal de esperança para superar a pandemia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“[…] Hoje iniciamos uma nova fase: a da vacinação dos profissionais das funções do Estado”, reiterou, adiantando que há uma “articulação entre todas as áreas governativas” para a coordenação “da resposta no quadro do estado emergência”, definindo “prioridades claras”.

Eduardo Cabrita lembrou ainda que mais de 300 mil pessoas já receberam a primeira dose da vacina e mais de 100 mil portugueses já receberam a segunda dose, completando o processo de vacinação.

Nós gostaríamos de ter 10 milhões doses já disponíveis, […] 300 mil portugueses receberam a primeira dose, há já mais de 100 mil que receberam a segunda dose da vacina e já têm o processo completado”, assegurou.

Segundo dados oficiais do Governo, publicados na terça-feira, foram já vacinadas 400.190 pessoas contra a Covid-19 em Portugal, das quais 106.055 completaram já as duas tomas da vacina.

O programa de vacinação dos bombeiros começou esta quinta-feira no Centro de Saúde da Damaia e contou com a presença, além de Eduardo Cabrita, da ministra da Saúde, Marta Temido, da secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, e do secretário de Estado Coordenador para o combate à pandemia na Região de Lisboa e Vale do Tejo, Duarte Cordeiro.

Cerca de 15.000 bombeiros voluntários, sapadores e municipais deverão ser vacinados contra a Covid-19, num processo que se vai prolongar durante as próximas duas semanas.

O Ministério da Administração Interna (MAI) sustenta que os bombeiros, dada a dimensão operacional do transporte pré-hospitalar que executam, desempenham “uma função essencial do Estado e por isso vão ser vacinados ao longo das próximas duas semanas”.

Segundo o MAI, a ordem de vacinação destes 15.000 bombeiros foi definida com base em critérios operacionais da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e abrange o universo de voluntários, sapadores e municipais.

O Ministério tutelado por Eduardo Cabrita indica que os locais de vacinação, em vários concelhos de cada um dos 18 distritos do continente, foram estabelecidos de acordo com a distribuição geográfica dos 15.000 bombeiros.

De acordo com o MAI, Lisboa e Porto são os distritos com mais bombeiros que vão ser vacinados contra o novo coronavírus, 2.181 e 1.916 respetivamente, seguido de Viseu (1.025), Aveiro (958), Coimbra (945), Leiria (945), Braga (910), Santarém (842), Setúbal (829) e Vila Real (687).

No distrito da Guarda vão ser vacinados 644 bombeiros, em Faro 617, em Castelo Branco 500, em Bragança 477, em Portalegre 388, em Viana do Castelo 347, em Beja 358 e em Évora 326.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.341.496 mortos no mundo, resultantes de mais de 106,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.718 pessoas dos 774.889 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.