Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ricardo Pocinho, presidente da Associação Nacional de Gerontologia Social acusa o primeiro-ministro de estar a “mentir” sobre o processo de vacinação nos lares e pede ao Governo que deixe os “anúncios” e “fait divers” de lado e ofereça efetivamente soluções para ultrapassar a crise.

“Esta manhã o senhor primeiro-ministro dizia que todos os trabalhadores dos lares já foram vacinados. É mentira. Temos de falar de coisas concretas, há lares em Bragança, por exemplo, que não têm surtos e ainda não foram vacinados [utentes e trabalhadores]”, afirmou Pocinho na SIC Notícias.

O presidente da Associação Nacional de Gerontologia Social defende que é tempo de “deixar a politiquice de parte” e que não se pode “fazer aproveitamento político de um período terrível para o país”.

“Há que deixar a politiquice de parte e deixar estes fait divers de vir anunciar meio milhão de vacinas, quando sabemos que são 150 mil as pessoas protegidas que já fizeram as duas tomas. Não podemos fazer aproveitamento político de um período terrível para o país”, afirmou.

Face à ausência de resposta do Governo, a associação vai enviar este sábado uma nova carta a Marcelo Rebelo de Sousa para apresentar “um conjunto de soluções” para proteger s trabalhadores desta área.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR