Um tribunal de Moscovo satisfez parcialmente um pedido do empresário russo Yevgeny Prigozhin, conhecido como o ‘chef’ de Vladimir Putin por organizar banquetes oficiais, e obrigou o opositor russo Alexei Navalny a pagar-lhe uma indemnização por difamação.

Navalny deverá pagar uma compensação de 500.000 rublos [cerca de 5.600 euros] por danos morais”, declarou Igor Eliseev, o advogado de Prigozhin, citado pela agência noticiosa TASS.

Segundo o jurista, “o tribunal satisfez parcialmente o pedido de Prigozhin a Navalny, ao obrigá-lo a retirar as informações difamantes e publicar um desmentido num prazo de dez dias“. Em agosto de 2020 Prigozhin prometeu arruinar Navalny para receber cerca de um milhão de euros que o líder opositor e o seu Fundo de Luta contra a Corrupção deveriam remeter-lhe após decisão de um tribunal russo.

O empresário anunciou que a sua empresa, Concord, assumiu o pagamento dessa soma de dinheiro a uma empresa de ‘catering’ moscovita, que venceu um processo a Navalny por “calúnias”. Um tribunal de Moscovo considerou caluniosas as denúncias sobre a má qualidade dos almoços escolares fornecidos pela empresa “Moskovski Shkolnik” vinculada a Prigozhin, pelo que ditou o pagamento de 88 milhões de rublos (perto de 980 mil euros).

Navalny. EUA sancionam chefe dos serviços de segurança russos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Navalny reagiu a esta decisão do tribunal com o anúncio da dissolução do Fundo de Luta contra a Corrupção, por muitos considerado o flagelo das elites russas, após ter argumentado que seria impossível recolher essa quantidade de dinheiro. No momento em que Prigozhin ameaçou “arruinar” Navanly, o opositor encontrava-se em restabelecimento numa clínica alemã após um envenenamento pelo qual responsabilizou diretamente o Presidente russo Vladimir Putin.

Prigozhin afirmou que caso Navalny sobrevivesse ao envenenamento, cairia sobre ele “todo o peso da lei“. Em 20 de agosto de 2020 o líder opositor russo, 44 anos, sentiu-se mal a bordo de um avião quando regressava a Moscovo proveniente da Sibéria. O piloto efetuou uma aterragem de emergência na cidade de Omsk, onde foi internado no hospital local antes de ser transferido para Berlim.