236kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Equipa de Meghan critica BBC por ter "três homens brancos de meia-idade" a falar sobre racismo

Num e-mail enviado à BBC, um colaborador de Meghan Markle critica a escolha de comentadores da estação, na esperança de que esta possa reunir opiniões mais diversas no futuro.

i

Getty Images

Getty Images

Um dos membros da equipa de Meghan Markle contactou a BBC. No e-mail enviado à televisão estatal britânica, o elemento alertou para o facto de que ter “três homens brancos de meia-idade a discutir questões raciais” não ser é ideal, segundo descreveu o The Telegraph, esta quinta-feira.

A crítica foi feita depois de, na passada segunda-feira, em pleno rescaldo da polémica entrevista dos duques de Sussex a Oprah Winfrey, a BBC Radio 4 ter emitido um debate entre quatro comentadores (todos eles homens e três deles brancos), durante o programa Today. Em cima da mesa, estiveram os temas quentes da conversa, nomeadamente as revelações de Meghan sobre a sua saúde mental e os alegados comentários racistas no seio da família real.

Os comentadores visados na crítica dirigida à BBC são Robert Hardman, colunista do Daily Mail, Charles Anson, antigo secretário de imprensa de Isabel II, e Dean Stott, amigo de Harry e antigo soldados das forças especiais. Os três têm idades entre os 43 e os 76 anos.

Os comentadores visados na crítica feita pela equipa de Meghan: Robert Hardman, Charles Anson e Dean Stott

Getty Images

Enquanto Hardman usou o seu tempo de antena durante o debate para questionar as intenções da duquesa ao fazer revelações sobre eventuais comentários racistas no palácio, Stott focou a abordagem da imprensa a Meghan Markle, usando termos como misoginia e preconceito. Já Anson, afirmou veementemente não existir racismo no seio da família real britânica.

Embora não seja uma queixa formal, o e-mail enviado à equipa responsável por cobrir os assuntos da casa real alertou para a necessidade de reunir painéis mais diversos no futuro, sempre que em discussão estiverem temas tão sensíveis como o racismo.

Sobre o e-mail noticiado, a BBC não confirma, por uma questão de princípio, o contacto estabelecido pela equipa de Meghan Markle. “Tivemos um conjunto variado de opiniões na nossa emissão e não acreditamos que haja qualquer problema”, afirmou a estação em resposta. Contudo, uma fonte citada pelo The Sun deixou uma nota bem menos polida: “Ter um relações públicas a dizer como se deve cobrir um tema é, no mínimo, estranho. Estamos no Reino Unido, não na China”.

“A ideia de que apenas negros devem ser convidados para falar sobre igualdade racial é o pior princípio com o qual a imprensa deve trabalhar”, afirmou o ex-presidente da Comissão da Igualdade e Direitos Humanos, Trevor Philips, ao The Telegraph. Já Weyman Bennett, um dos organizadores do movimento Stand Up To Racism, defendeu que “ter opiniões mais diversificados, mais vozes negras, mais mulheres, é sempre um passo em frente”.

Piers Morgan abandona “Good Morning Britain” depois de comentários polémicos sobre Meghan Markle

A discussão surge depois de, durante a entrevista transmitida no último domingo nos Estados Unidos, Meghan ter falado de várias ocasiões em que a cor da pele do filho foi questionada por membros da família real, antes de Archie nascer.

Este não é o primeiro caso em que o tratamento da entrevista dos Sussex a Oprah pela imprensa britânica se torna notícia. Na passada terça-feira, o jornalista e apresentador da ITV Piers Morgan abandonou o programa “Good Morning Britain”, depois de ter afirmado em direto que não acreditava “numa única palavra” do que Meghan Markle havia afirmado. O comentário gerou mais de 40 mil queixas à entidade reguladora da comunicação do Reino Unido, que procedeu à abertura de uma investigação

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.