O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, disse esta segunda-feira que é necessário aumentar a participação dos jovens no ensino superior para tornar a União Europeia atrativa, especialmente num contexto de recuperação económica.

Entre os nossos objetivos comuns estão o de construir um panorama cada vez melhor para a educação e emprego jovem, mas também para atrair todos a viver na UE”, frisou na abertura da conferência ‘online’ European Students’ Convention 41.

Sob o tema “Construir resiliência na educação: Estudantes unidos para a recuperação pós-pandémica”, Manuel Heitor explicou que o primeiro passo é, num contexto europeu, atingir os 50% de pessoas entre os 30 e 34 anos com formação superior em 2030, dado que esse valor está perto dos 40% neste momento.

Regiões e países em que mais de 50% das pessoas têm formação superior nessa faixa etária devem atingir os 60%”, adiantou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com os mais recentes dados do INE, a percentagem da população de 30 a 34 anos residente em Portugal e com um diploma de ensino superior atingiu os 39,6% em 2020.

O ministro defendeu ainda que é preciso “diversificar e especializar os programas, cursos e sistemas de educação por toda a Europa, garantir condições de emprego dignas e apropriadas para todos os diplomados” e apostar em “educação ao longo da vida”, bem como na “articulação entre investigação, inovação e educação”.

Os tempos em que vivemos na Europa são para construir confiança nas gerações futuras. O papel dos estudantes universitários é, por isso, crucial para este processo de construção do nosso futuro comum”, sublinhou.

A European Students’ Convention 41 decorre até 17 de março e é organizada pela European Students Union (ESU) e pela Federação Académica Portuguesa para a Informação e Representação Externa (FAIRe Portugal).