Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Yana Sizikova, tenista russa de 26 anos, foi detida esta quinta-feira ao fim do dia junto à Porta d’Auteuil, em Paris, enquanto abandonava o Estádio de Roland Garros, depois de mais um jogo de duplas e da sessão de massagem que se lhe seguiu. A situação foi de tal forma inusitada, conta o jornal Le Parisien, que avançou a notícia, que nos primeiros instantes a equipa de segurança do torneio tentou impedir os agentes da polícia francesa de procederem à detenção.

No final, a desportista, número 101ª do mundo em duplas e no 765º lugar do ranking em singles, foi levada para as instalações do Serviço Central de Corridas e Jogos da Polícia Judiciária francesa e o seu quarto de hotel foi também revistado. Sobre a jogadora recaem acusações de “corrupção desportiva ativa e passiva” e de “fraude em grupo organizado”, avançou o ministério público àquele jornal.

Em causa estará a viciação de resultados de jogos de ténis e várias dezenas de milhares de euros ganhos em apostas. Sizikova é suspeita de ter perdido propositadamente um jogo de pares há cerca de um ano, justamente em Roland Garros, à data com a americana Madison Brengle, contra as romenas Andreea Mitu e Patricia Maria.

Apesar de a dupla romena ser à partida favorita e de o resultado final (7-6 e 6-4) não ser propriamente inesperado, os alarmes das autoridades soaram ao quinto jogo do segundo set, quando várias dezenas de milhares de euros, provenientes de vários países, entraram nas casas de apostas a torcer pela vitória de Andreea Mitu e de Patricia Maria nessa parcela. Com a ajuda de Sizikova, que cometeu duas duplas-faltas e desperdiçou um ponto, foi o que aconteceu, recorda o Le Parisien.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR