O desaparecimento de Neno aos 59 anos, vítima de doença súbita, causou grande transtorno no mundo do futebol ao início da madrugada desta sexta-feira, com o V. Guimarães, clube onde passou como jogador por duas ocasiões e a quem ficou ligado com variadas funções ao longo dos anos, a ser o primeiro conjunto a reagir à notícia através de um longo comunicado onde recordou não só o antigo guarda-redes mas sobretudo a pessoa.

Morreu Neno, o guarda-redes campeão no Benfica que brilhou em Guimarães e era conhecido como o Julio Iglesias das balizas

“É com profunda tristeza e coletivo sentimento de enorme pesar que o Vitória Sport Clube informa sobre o falecimento de Neno, histórica figura do clube e da cidade, que nos deixou na noite desta quinta-feira, aos 59 anos. Antigo guarda-redes, o internacional português representou o Vitória em três momentos da sua carreira, integrando o grupo que conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira em 1988. Foi também no Vitória que concluiu um longo e bonito percurso enquanto futebolista, mantendo-se ligado ao clube em variadas funções, que foram desde os relvados até à representação institucional”, começou por destacar.

“Carismático, afável e sempre disponível, Neno não foi apenas uma figura do Vitória, mas um ícone da cidade, conhecido de todos e que para todos tinha um gesto amigo e um sorriso verdadeiro. A morte de Neno representa uma enorme perda coletiva, mas em especial para a sua família e amigos, a quem o Vitória manifesta as suas mais sentidas condolências. Nesta hora que é de luto, cumpre recordar e honrar o nosso Adelino Barros. O Vitória prestará no momento próprio mais informações sobre as cerimónias fúnebres”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O Benfica expressa o seu profundo pesar pelo falecimento do nosso antigo guarda-redes Neno, que tinha 59 anos. Os nossos pensamentos vão, nesta altura de saudade e vazio, para a sua família. Para sempre ficarão na memória de todos os benfiquistas as grandes exibições que Neno protagonizou com a camisola do Benfica. Para sempre ficará também o talento de um dos guarda-redes mais marcantes do futebol português. De águia ao peito de 1985 a 1987 e também de 1990 a 1995, o antigo guardião sagrou-se campeão nacional três vezes (1986/87, 1990/91 e 1993/94). Envergando o Manto Sagrado, venceu ainda três Taças de Portugal (1985/86, 1986/87 e 1992/93) e fez parte do elenco que conquistou a Supertaça em 1985. A todos os seus familiares e amigos, o Benfica endereça, neste momento de grande consternação, as mais sentidas condolências por parte de toda a Família Benfiquista. A memória de Neno estará sempre entre nós”, destacaram os encarnados.

Através da conta oficial de Twitter, a Seleção Portuguesa lamentou esta sexta-feira de manhã a morte do internacional português, também com uma sua fotografia a preto e branco, com o brasão da Federação Portuguesa de Futebol ao peito. “Já sentimos a tua falta, Neno. Descansa em paz”, pode ler-se na legenda, em português e inglês.

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, também recorreu ao Twitter para lamentar a morte do ex-guarda-redes — “O mundo fica mais pobre, muito mais pobre”, escreveu. Já Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, deixou uma mensagem de condolências no site do organismo: “Lamento profundamente o desaparecimento tão precoce do Neno, uma personalidade incontornável na história do futebol português, quer pela sua grande carreira no campo, quer, principalmente, pelo seu enorme valor humano. Personalidade tão generosa nos afetos, deixa um legado quase incomparável de cavalheirismo, simpatia, alegria e bondade”.

Em comunicado enviado para as redações, Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores, também manifestou o seu pesar pela morte de Neno que, fez questão de assinalar, foi presidente da Comissão Diretiva do Sindicato entre 1991 e 1993. “Fomos surpreendidos com a triste notícia do desaparecimento do Neno. Quero neste momento muito difícil prestar, em nome de toda a equipa do Sindicato dos Jogadores, uma sentida homenagem e destacar a elegância, a simpatia e generosidade com que o Neno sempre prendou todos os que com ele tiveram a oportunidade de privar”, escreveu.

“Hoje deixou-nos a melhor pessoa que conheci no mundo do futebol. E conheci muita gente boa neste mundo, mas nenhum como o meu querido e grande amigo Neno. Todos aqueles que tivemos o privilégio de conhecer-te vamos ter muitas saudades tuas Neninho. Descansa em paz maninho”, já tinha recordado Paulo Futre durante a madrugada. “Descansa em paz amigo Neno! Sem palavras”, escreveu Nuno Gomes, pouco depois de a notícia do falecimento do antigo guarda-redes ser conhecida.

O presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, lamentou nesta sexta-feira a morte do antigo guarda-redes internacional português, considerando que se trata de uma “perda coletiva e irreparável” para a família, amigos e Vitória Sport Clube. Em comunicado, Domingos Bragança refere que Neno se tornou “uma referência do Vitória e da cidade de Guimarães, perante os laços que construiu ao longo da sua vida, sendo um autêntico embaixador” quer do clube, quer do concelho.

Para o autarca, Neno foi também “um exemplo no plano desportivo e social”. Recorda que o antigo guarda-redes esteve “sempre disponível para apoiar causas sociais e humanitárias com as mais diversas instituições de Guimarães e não só”.

Deu muito de si à sociedade, sempre à procura do bem, e com uma educação e alegria de viver contagiante”, acrescenta.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, lamentou nesta sexta-feira a morte do antigo internacional português, destacando o ex-guarda-redes como um “ser humano extraordinário”. “Ontem (quinta-feira], infelizmente, vimos partir um grande craque, sob todos os pontos de vista. O Neno foi um ser humano extraordinário. Deixo um sentido abraço à sua família, aos seus amigos e ao Vitória Sport Clube”, referiu o governante, numa mensagem nas redes sociais.

Outros clubes nacionais, como o Boavista e o Belenenses, foram deixando as suas mensagens de condolências através das redes sociais ao longo da madrugada. E até do estrangeiro chegaram mensagens, como a do Wolverhampton.

Ao longo das últimas horas, têm sido muitos os que partilharam balneário com Neno, ou apenas se cruzaram com ele, a partilhar memórias e mensagens a lamentar a sua morte precoce, como Augusto Inácio, Rui Vitória. “E de repente tudo para! Não consigo dizer, pensar, fazer mais nada. Não consigo dormir. Que angústia e impotência sinto neste preciso momento. Não é possível! O Neno partiu! Partiu um dos melhores seres humanos que conheci no futebol!”, escreveu no Instagram o ex-treinador do Benfica e atual técnico do Spartak Moscovo.

Já o presidente do Conselho de Administração do Hospital de Guimarães, Henrique Capelas, lamentou a morte do antigo guarda-redes internacional e manifestou eterna gratidão por “tudo o que deu” à instituição.

Em comunicado, Henrique Capelas sublinha que Neno foi uma personalidade muito importante para a cidade e para o hospital de Guimarães e destaca a sua “reconhecida generosidade, boa vontade e solidariedade”.

“Obrigado, Neno, por tudo que deu ao hospital, pelo enorme legado afetivo que nos deixou. Ficaremos eternamente gratos”, refere.