Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não, comprar um equipamento recondicionado não é o mesmo que comprar um computador ou telefone usado, ainda que também o seja. Confuso? Não precisa de o ser porque, na prática, o que a portuguesa Digiplanet faz é dar uma segunda vida a estes equipamentos, recuperando-os, melhorando-os e disponibilizando-os novamente no mercado a preços mais baixos.

A empresa, que nasceu em 2019 como resposta a um mercado cada vez mais dado ao desperdício eletrónico, viu a procura crescer exponencialmente empurrada pela pandemia, e Portugal tornou-se apenas mais um mercado no meio dos dez países europeus que compõem o portefólio dos clientes. Itália, Espanha, França, Alemanha ou Áustria são outros dos grandes mercados atuais desta empresa que conta com pouco mais de uma dúzia de pessoas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.