315kWh poupados com o
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo MEO

Veja as melhores ofertas de telecomunicações aqui.

Boletim DGS. Portugal sai do vermelho, R(t) abaixo de 1 dois meses depois

Descida do índice de transmissibilidade permite ao país sair da zona vermelha da matriz. Todas as regiões de Portugal continental registaram mortes nas últimas 24 horas.

Tourism Slowly Returns To Portugal
i

Corbis via Getty Images

Corbis via Getty Images

Há mais de um mês que Portugal tinha entrado na zona vermelha da matriz de risco, mantendo-se por lá a cada atualização dos dados feita pela DGS. Esta sexta-feira, porém, os portugueses veem o índice de transmissibilidade R(t) baixar de um e a incidência diminuir também a nível nacional e o resultado é a saída da zona vermelha, para a laranja.

O R(t) desceu pela primeira vez de 1, situando-se agora nos 0,98, em quase dois meses. Desde dia 12 de maio que o valor do R(t) não era tão baixo, mas desde 9 de julho que tem vindo a diminuir. Ainda assim, há uma grande diferença na incidência que se verifica a 12 de maio comparando com a atual. A nível nacional havia 51 casos por cada 100 mil habitantes, quase 10 vezes menos que o valor atual de 419,2 casos por cada 100 mil habitantes.

Em relação aos números registados ao longo de quinta-feira, vertidos no relatório divulgado esta sexta-feira pela DGS, foram confirmados mais 2.595 novos casos e 14 mortes. O número de casos ativos da Covid-19 em Portugal desceu (menos 750) para 50.811 nas últimas 24 horas em resultado da confirmação dos 2.595 casos novos casos, das 14 mortes e de 3.331 recuperações da doença.

Comparando com a última sexta-feira, este boletim dá conta de menos casos confirmados (foram 3.794 no dia 23 de julho), menos dois mortos (16 mortos há uma semana), menos casos ativos (53.534 a 23 de julho e 50.811 esta sexta-feira), mas mais internados (924 contra os 855 de dia 23 de julho) e mais pessoas também nas unidades de cuidados intensivos (199 contra os 178 da última semana).

Há menos 30 internados com Covid-19. Cuidados intensivos abaixo dos 200

Desde terça-feira que o número de doentes nas unidades de cuidados intensivos estava acima das duas centenas, tendo a última diminuição sido registada há nove dias, a 21 de julho. O boletim desta sexta-feira mostra uma nova descida, com menos nove camas de cuidados diferenciados com doentes Covid-19.

Em termos gerais, há ainda 924 camas ocupadas com doentes Covid-19 nos hospitais portugueses, sendo que dessas, 199 são de cuidados intensivos. É a primeira descida em número de internamentos desde o último sábado quando estavam internadas 835 pessoas com diagnóstico positivo para a Covid-19

Todas as regiões do continente com mortos. Morreu um homem com menos de 50 anos

Todas as regiões de Portugal continental registaram mortes nas últimas 24 horas. Na região Norte morreram cinco pessoas, no Centro uma, em Lisboa e Vale do Tejo quatro, no Alentejo duas e no Algarve também duas. Só as regiões autónomas dos Açores e Madeiras ficam de fora no que diz respeito a mortos no país por Covid-19.

Já em relação à idade das pessoas que estavam doentes com a Covid-19, registou-se uma morte de um homem com idade entre os 40 e os 49 anos; duas mortes de homens com idade entre os 60 e os 69 anos; duas mortes de mulheres e um homem com idade entre os 70 e os 89 anos e as restantes oito mortos são de pessoas com mais de 80 anos — sendo seis mulheres e dois homens.

A página está a demorar muito tempo.