A 76.ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas começa esta terça-feira em Nova Iorque, com a tradicional apresentação do relatório sobre as atividades da organização apresentado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres.

Dividida entre as sessões da manhã e da tarde, a reunião, que se prolonga até 27 deste mês, é subordinada ao tema “Construir Resiliência Através da Esperança – Recuperar da Covid-19, Reconstruir a Sustentabilidade, Responder às Necessidades do Planeta, Respeitar os Direitos das Pessoas e Revitalizar as Nações Unidas”.

A assembleia geral contará com intervenções de 33 chefes de Estado, entre eles o de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e os do Brasil, Jair Bolsonaro, Estados Unidos, Joe Biden, os dois primeiros a abrir a sessão matinal, após o discurso de Guterres, sob a presidência do ministro dos Negócios Estrangeiros das Maldivas, Abdulla Shahid.

Marcelo discursa nas Nações Unidas em defesa do diálogo global

Entre as matérias em cima da mesa, que aguardam entendimentos, estão as alterações climáticas, as migrações, a segurança à escala global e o combate ao terrorismo, sobre as quais deverão incidir a maioria das intervenções.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entre os discursos que se vão ouvir esta terça-feira no Salão da Assembleia Geral, na sede das Nações Unidas, está também o de Xi Jinping, Presidente da China, que, numa mensagem pré-gravada, encerrará os trabalhos da manhã.