Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

O rapper Valete publicou no Facebook um pedido de desculpas público ao casal que ameaçou por mensagens através das redes sociais, em setembro de 2019. O pedido de desculpas terá sido o resultado de um acordo para que o rapper pudesse evitar ir a julgamento. “Sacar este pedido foi um pesadelo”, diz Ludovic Pereira ao Observador, que refere ainda que a publicação é “a prova de que aconteceu alguma coisa”. Também contactado pelo Observador, o músico recusou fazer qualquer comentário.

“Apresento formalmente o meu pedido de desculpas pelos conflitos provocados contra o Sr Ludovic Pereira e Maria Furtado em Setembro de 2019. Desde já informo que todos os litígios pendentes se encontram resolvidos entre mim e as pessoas em causa”, lê-se na publicação assinada por Keidje Lima (nome do músico).

No Twitter, Ludovic Pereira reagiu à publicação: “Há pessoas que acreditam mesmo que isto é um pedido de desculpas espontâneo e não uma obrigação que teve que ser negociada a favor dele”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com o nome de utilizador “Lítio”, Ludovic Pereira explica que Valete lhe pediu para retirar a queixa depois de receber a notificação do tribunal e que ainda ponderou aceitar, caso Valete assumisse ser autor das ameaças, mas o músico terá respondido que foram uns “putos da Damaia”, onde reside.

Na altura das ameaças — e ao contrário do que agora assume —, Valete garantiu que era falso que as mensagens fossem suas, como noticiou o Observador. “É uma patetice. As mensagens que estão a circular no Twitter, que dizem que são minhas, são falsas. É até muito grave”, referiu, admitindo “denunciar pessoas que estão a partilhar essas mensagens”.

Ludovic Pereira diz que Valete queria que o assumir da culpa ficasse apenas dentro das paredes do tribunal ou que fosse apresentado como um “mal entendido”. “Na audiência, tive que bater pé e explicar que estava surpreendido com o descaramento da negociação, dado que eu não estava interessado em indemnizações nem ele certamente queria ser julgado. E, mesmo assim, ainda tive que vergar a vontade”, acrescenta o queixoso.

O texto [agora publicado] não foi ele que fez, foi escrito pela juíza e teve que ser arrancado porque ele insistia que não fazia”, denuncia.

Ludovic Pereira lamenta que, depois disto, ainda seja Valete a sair bem da situação. “Os fãs leram aquilo e acham que foi um obstáculo que ele ultrapassou por mérito próprio”, escreve. “Ele teve a advogada a falar por ele, eu estava sozinho na sala.”

Jornalista Fernanda Câncio acusa Valete de a ameaçar. Rapper diz-se pronto para “uma guerra” de palavras

O casal apresentou queixa contra o músico por causa das ameaças que recebeu nas redes sociais depois de terem criticado o single “BFF”, que narra a história de um homem que, ao descobrir que foi traído pela namorada com o melhor amigo, sonha assassinar os dois.

Primeiro, as ameaças foram dirigidas a Ludovic Pereira, que depois desativou a conta no Facebook e bloqueou o Instagram: “‘Tás [sic] avisado. Vou-te dar duas cabeçadas pa [sic] aprenderes a não ser espertinho. Que a minha mãe morra se eu não te deixar ensanguentado”.

Depois, foram também dirigidas à mulher, Maria Furtado: “Só para avisar que o teu marido foi desrespeitoso em relação a mim. Ainda esta semana vou ter com ele e vou-lhe dar nos cornos. Só para ele aprender que isto não é m**** de putos a brincar aos telemóveis”.

Vídeo. Valete contra-ataca Fernanda Câncio invocando relação da jornalista com Sócrates

As mensagens foram divulgadas pela jornalista Fernanda Câncio, também ela alvo de ameaças por parte do rapper, depois de um artigo publicado no Diário de Notícias. Na altura, Valete confirmou o teor das mensagens à jornalista, mas, apesar do teor das mesmas, rejeitou que se tratassem de ameaças físicas — ao Observador preferiu falar de uma guerra verbal.

Fernanda Câncio não apresentou queixa, mas agradeceu a Ludovic Pereira por tê-lo feito. “Fê-lo também por solidariedade comigo, por ver que, ao denunciar as ameaças de Valete, estava a ser atacada de todos os lados.”

O Observador contactou a Sony e nem a editora nem o rapper quiseram fazer declarações sobre o caso.

“Contactou-me e disse-me como é que podia desistir do processo”, diz Ludovic

Ludovic Pereira considera este pedido de desculpas escasso. Mesmo assim, assume ao Observador que o mesmo é “prova de que aconteceu alguma coisa”. Por isso, refere que, do seu lado, a situação poderá ter tido um fim. Porém, lembra que houve mais pessoas que afirmam ter recebido ameaças e que “não parece que seja o fim do assunto”, adianta.

Nas declarações, refere também que foi incentivado pelo rapper a desistir da queixa: “Contactou-me e disse-me como é que podia desistir do processo”. No final, “sacar este pedido foi um pesadelo”, afirma. Houve algumas pessoas que tiveram arrependimento de passar a outro patamar”, disse Ludovic referindo-sea outros casos de alegações de ameaça por parte de Valete a quem criticou a música que fez. E frisou: “Há uma série de pessoas que queriam ter apresentado queixa.”

Relembrando o que aconteceu em 2019, Ludovic Pereira afirma que “foi uma perseguição”. “Arranjaram uma desculpa para ir atrás de toda a gente que tinha uma opinião sobre o assunto”, acusa, dizendo que, por isso, a “queixa não era por nós [Maria também]”. Era também por todos os que se sentiram ameaçados. Sobre este pedido de desculpas no Facebook, menciona também que ficou com o “nome limpo”.

*Artigo atualizado 19h32 com declarações de Ludovic Pereira.