As agências internacionais de notícias destacam esta segunda-feira a derrota do PS em Lisboa nas eleições autárquicas de domingo, com a espanhola EFE a sublinhar o “tropeção” socialista.

“Tropeção socialista em Lisboa numas eleições autárquicas marcadas pela abstenção“, titula a agência espanhola EFE.

Sublinha ainda que a vitória de Carlos Moedas, eleito presidente da Câmara Municipal de Lisboa com 34,25% dos votos, foi uma surpresa, destacando que “ninguém duvidou da vantagem de Medina” e que a subida da direita na capital “é um duro golpe” para o partido do primeiro-ministro, António Costa, “que se envolveu a fundo na campanha”.

A Agência France Presse (AFP) escreve que “os socialistas no poder em Portugal venceram as eleições municipais de domingo, mas sofreram uma derrota surpresa em Lisboa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“De um total de 308 municípios, o campo do primeiro-ministro, António Costa, obteve 34,4% dos votos e venceu em pelo menos 147 municípios, contra 30,8% dos votos e 108 municípios da oposição de centro-direita”, escreve a AFP.

Lembra ainda que os socialistas, vencedores das eleições autárquicas de 2013 e 2017, tinham conseguido há quatro anos o melhor resultado da sua história, com 161 câmaras municipais e 38% dos votos.

“Em Lisboa, a coligação de direita liderada pelo ex-comissário europeu Carlos Moedas derrotou todos os prognósticos para vencer o autarca cessante Fernando Medina (…), com 35,8% dos votos contra 31,7%”, escreve.

Lembra ainda que, no Porto, o independente Rui Moreira “foi amplamente renovado por um novo mandato, conforme previam as sondagens”.

A AFP sublinha ainda um ligeiro aumento da abstenção, para 46,3%, e escreve que estas eleições ocorreram num contexto “geralmente favorável ao governo de Antonio Costa”, que na semana passada anunciou o levantamento, a partir de dia 01 de outubro, da maioria das restrições sanitárias ainda em vigor por causa da pandemia.

“O primeiro-ministro investiu pessoalmente muito na campanha ao prometer restaurar a economia do país, duramente atingido pela pandemia de Covid-19, graças a projetos de investimento financiados pelo plano de recuperação, europeu”, acrescenta.

Em termos nacionais, o PS foi o partido que mais câmaras conquistou nas autárqicas de domingo e mais votos teve, com 34,42% da votação, seguido pelo PSD, com 13,30%. As coligações PPD/PSD.CDS-PP conseguiram 10,66% dos votos, o PCP-PEV 8,22%, os Grupos de Cidadãos 5,54%, o Chega 4,17% e o Bloco de Esquerda 2,76%. O partido Iniciativa Liberal arrecadou 1,29% dos votos e o PAN 1,14%.