Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Jorge Moreira da Silva não será candidato à liderança do PSD. O ex-ministro de Pedro Passos Coelho confirmou isso mesmo, num texo publicado na rede social Facebook.

“Aguardei serenamente pela definição de Rui Rio quanto à sua recandidatura à liderança do PSD. Confirmada que está tal recandidatura, entendo não dever eu próprio protagonizar uma candidatura própria, pois o superior interesse do país e do PSD aponta para que os militantes possam fazer a sua opção livre entre as duas vias distinta que são apresentadas e que se encontravam em preparação no terreno há longos meses”, escreveu Moreira da Silva.

Tal como explicava o Observador na sexta-feira, a decisão do diretor da Cooperação para o Desenvolvimento da OCDE estava dependente da recandidatura ou não de Rui Rio. Moreira da Silva só seria candidato se sentisse existir espaço para entrar na corrida com perspetivas de ter um bom resultado. A decisão de Rio acabou por condicionar a sua decisão.

Agora, no Facebook, o próprio confirma isso mesmo e opta, para já, por uma posição neutra em relação aos dois candidatos. “Desejo a Rui Rio e a Paulo Rangel as maiores felicidades no confronto elevado de ideias e projetos que vão assumir, ciente de que o PSD precisa de ser capaz de, urgentemente, se constituir como alternativa séria de Governo para Portugal”, sublinhou.

Ainda assim, Moreira da Silva deixa uma promessa: “Acompanharei atentamente a campanha interna que vai agora iniciar-se e não deixarei, em devido tempo, de emitir a minha opinião sobre aquele que considero o melhor projeto.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR