Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O número de novas infeções  entre os 20 e os 29 anos voltam a estar em destaque no Boletim Epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, esta quarta-feira. Com 183 novos casos representam um quinto do total de casos no país nas últimas 24 horas (927) e o grupo com mais novas infeções.

Os 117 casos de infeção com SARS-CoV-2 registados entre os homens na casa dos 20 anos, representa um quarto de todos os casos registados entre homens (467) e 64% dos casos registados nessa faixa etária. Entre as mulheres neste grupo houve 65 casos.

Este grupo dos 20 aos 29 anos também apresenta uma diferença de mais de 50 casos para o segundo grupo que registou mais infeções, dos 40 aos 49 anos (131 casos). A faixa etária dos 30 aos 39 anos registou 128 casos.

As mulheres, por sua vez, apresentam mais 19 casos que os homens na casa dos 60 anos (61 e 42, respetivamente) e mais 18 casos que os homens na casa dos 40 (75 e 57, respetivamente).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a que apresenta mais novos casos de infeção (356), seguida da região Norte (249) e Centro (212). As restantes regiões têm todas menos de 50 novos casos: 41 no Algarve, 40 no Alentejo, 16 nos Açores e 13 na Madeira.

Contabilizaram-se três óbitos com Covid-19 em três regiões distintas: Norte, Centro e Alentejo.

Todas as mortes foram de doentes com mais de 80 anos, dois homens e uma mulher.

Estão 286 pessoas internadas com Covid-19 — menos 13 do que no dia anterior —, das quais 58 estão nas unidades de cuidados intensivos — menos duas do que na terça-feira.

Esta quarta-feira, a DGS reporta ainda 577 pessoas recuperadas da infeção e mais 26 contactos em vigilância (num total de 20.071). No total, são 30.368 casos ativos — mais 347 nas últimas 24 horas.

A incidência acumulada teve uma ligeira subida em relação aos dados de segunda-feira: de 84,3 novos casos em todo o país e 84,7 só no continente passámos para 84,4 e 84,8 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, respetivamente.

O índice de transmissibilidade subiu de 1,01 a nível nacional para 1,02 e manteve-se nos 1,02 no continente.

Desde o início da pandemia já se registaram 1.081.856 casos de infeção e 18.109 óbitos.