A produção de petróleo e gás natural no litoral do Brasil, onde estão maiores reservas do chamado pré-sal, totalizou 2,85 milhões de barris de óleo equivalente por dia em setembro, um recorde, anunciou esta quinta-feira o Governo brasileiro.

Em comunicado, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) brasileira referiu que foi o maior registo histórico de produção mensal no pré-sal, tanto em termos absolutos, quanto em percentagem de participação na produção total.

O montante de petróleo e gás extraído da área representou 74,10% do total nacional brasileiro de 3,84 milhões de boe/d.

A produção acumulada de petróleo e gás do pré-sal brasileiro, desde a descoberta do campo de Tupi, em abril de 2009, é de 5,02 mil milhões de barris de óleo equivalente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esse número já ultrapassou, por exemplo, toda a produção acumulada em campos terrestres do país desde 1941, que foi de 4,96 mil milhões de barris de óleo equivalente.

A maior produção por bacia sedimentar, em setembro, foi registada na Bacia de Santos, com 2,74 milhões de boe/d, atingindo 71,36% do total nacional.

Este foi também o maior valor histórico registado para a Bacia de Santos, em termos absolutos e relativos. O campo de maior produção no pré-sal brasileiro continuou a ser o de Tupi, com 1,22 milhões de boe/d, sendo tanto a maior produção de petróleo (948 mil barris de petróleo por dia) quanto de gás natural (43,12 milhões de metros cúbicos por dia) no país.

Já o maior poço produtor foi o 7-BUZ-10-RJS, do Campo de Búzios, que registou no período 67,5 mil boe/d, sendo a quarta maior produção histórica por poço, segundo a ANP.

Com três milhões de boe/d, o Rio de Janeiro foi o maior estado produtor, com 78,5% do total nacional, 81,8% da produção nacional de petróleo e 66,3% da produção nacional de gás natural.