Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Eram dois, passaram a três: o FC Porto começou a penúltima jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões a pensar apenas no Atl. Madrid nas contas do apuramento mas acabou a ter de se lembrar também do AC Milan, que derrotou os espanhóis no Wanda Metropolitano e intrometeu-se na matemática. Assim, os dragões têm de ganhar aos colchoneros no Dragão ou empatar e esperar que o AC Milan não vença o Liverpool em San Siro.

Sérgio, o Fantasma do Liverpool Passado e uma redenção que não chegou (a crónica do Liverpool-FC Porto)

Com o resultado desta quarta-feira, os dragões continuam sem ganhar em território inglês — em 22 encontros, levam três empates e 19 derrotas. Com cinco pontos à 5.ª jornada da fase de grupos, o histórico divide-se, já que o FC Porto foi eliminado com essa pontuação em 2013/14 mas conseguiu qualificar-se em 2004/05. Ainda assim, certo é que a equipa de Sérgio Conceição vai acabar a fase inicial da Liga dos Campeões sem qualquer vitória longe do Dragão pela primeira vez desde 2005/06 e aí, o histórico já diz que os dragões acabaram eliminados sempre que isso aconteceu.

Na flash interview, o treinador do FC Porto garantiu que não existia “a menor dúvida” de que estava mais satisfeito com a exibição de Anfield do que com a do Dragão e destacou os dois fatores que ditaram o resultado. “A falta de eficácia ofensiva e depois a grande qualidade do adversário, foi isto. Talvez tenha sido a nossa melhor primeira parte, criámos três ou quatro ocasiões de golo. Defensivamente, fomos uma equipa rigorosa. Iniciámos bem a segunda parte. Não conseguimos o segundo golo. A falta deixa-me muitas dúvidas, um jogo com esta intensidade e só haver 12 faltas não é normal. O livre que nasce do primeiro golo do Liverpool não me parece falta. Depois é um grande remate do Thiago. A qualidade individual dos jogadores do Liverpool fez a diferença”, explicou Sérgio Conceição.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Queremos pensar já — e verdadeiramente é a mensagem que se passa aos jogadores — no jogo com o V. Guimarães que temos para o Campeonato. Eu disse que este grupo ia ser decidido na última jornada. É um grupo muito forte. O AC Milan foi vencer ao Atl. Madrid e sinceramente não me deixa surpreendido. É um jogo que nos pode dar acesso aos oitavos, como tem acontecido nos últimos anos. É de realçar os bons jogos do FC Porto tanto em Madrid como em Milão”, terminou o técnico.